Fenajufe indica o início da greve da categoria para o dia 18 de maio


Por Marcela Cornelli

No dia anterior à Plenária Nacional dos SPFs, que aprovou como data possível do início da greve o dia 10 de maio, representantes do Judiciário e do MPU se reuniram na sede da FENAJUFE, momento em que discutiram a Campanha Salarial e a participação da categoria na greve nacional unificada. Depois de várias avaliações, a reunião ampliada definiu o dia 18 de maio como a data mais próxima com possibilidades de deflagração da greve no Judiciário Federal. Também foi aprovado que no dia 10 de maio, o Judiciário e o MPU farão paralisação de 24 horas nos estados.

No 5º Congrejufe, a categoria vai discutir a Campanha Salarial e definir as estratégias para intensificar as mobilizações com vistas à deflagração da greve. De acordo com a diretoria da Fenajufe, a indicação do dia 18 é para que todos sindicatos tenham condições de se preparar para entrar na greve. Os participantes da reunião ampliada ressaltaram a urgência da deflagração do movimento, em função do reajuste zero apresentado pelo governo. “Nós temos um calendário já colocado, que é o Congresso da nossa federação. Ele será o fórum onde vai desaguar toda a discussão e acúmulo de forças que fizemos ao longo deste ano e será, portanto, um fórum privilegiado para decidir o momento que entraremos na greve conjunta do funcionalismo”, reforçou o Coordenador da FENAJUFE, Adilson Rodrigues.

A federação reafirma, mais uma vez, que a indicação do dia 18 é para que haja tempo, depois do Congresso, dos sindicatos realizarem assembléias e debates com a categoria. “Para garantir um reajuste também para nossa categoria, nós temos o dever de trazer o Judiciário e o MPU para o movimento unificado dos federais, que não se restringe a apenas um dos poderes, no caso o Executivo, mas também outro, no caso o Judiciário”, ressaltou Adilson.

A FENAJUFE está orientando os sindicatos para que comecem a fazer desde já a discussão com a categoria sobre a deflagração da greve no dia 18.

No Congrejufe, serão acertadas, com mais precisão, as estratégias para a deflagração da greve da categoria, como data da rodada de assembléias, manifestações e a articulação para a instalação dos comandos estaduais de greve com as demais categorias do funcionalismo federal. Os sindicatos também deverão realizar assembléias para preparar a paralisação de 24 horas no dia 10, que vai impulsionar a deflagração do movimento paredista.

Fonte: FENAJUFE