Fenajufe e sindicatos intensificam pressão em Brasília pelo reajuste


Com informações da Fenajufe

A terça-feira, 16, foi um duro dia de luta para dirigentes da Fenajufe e representantes de vários sindicatos que passaram o dia no Congresso Nacional em busca de apoio para aprovação da reposição salarial de servidores do Judiciário Federal e do Ministério Público da União. Eles voltam ao Congresso nesta quarta-feira, 17, juntamente com servidores do PJU e do MPU, para tentar evitar que os projetos de aumento de magistrados e membros do MPU sejam votados sem a apreciação dos PLs de reposição dos servidores.

Depois de reuniões com vários parlamentares, inclusive com líderes partidários da Câmara dos Deputados, a única confirmação foi que a presidente Dilma Rousseff autorizou somente a aprovação do aumento dos subsídios dos juízes (PL 7917/14) e procuradores (PL 7918/14), deixando de lado os servidores. Assim que esses PLs sejam aprovados na Câmara, seguem para o plenário do Senado.

Além de coordenadores da Fenajufe, como Adilson Rodrigues e Tarcísio Ferreira, estiveram no Congresso delegações de sindicatos de todo o país, entre eles o Sintrajud. O sindicato de São Paulo foi representado pelo diretor Antonio Melquíades, o Melqui, e pelo diretor de base José Luís Santana.

Lewandowski, Alves e Mercadante

Enquanto se realizava a reunião de líderes, o diretor geral do STF, Amarildo Vieira, chegou ao gabinete da presidência da Câmara para conversar com os deputados sobre o reajuste dos servidores. Ele chegou a falar por telefone com o presidente da casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN), e informou que o ministro Lewandowski conversaria com o deputado e com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, na tentativa de um acordo para votar o reajuste dos servidores.

Ao final da reunião, coordenadores da Fenajufe falaram com Amarildo e pediram que não fosse permitida aprovação do reajuste somente para juízes e procuradores. Eles também solicitaram que fossem garantidos recursos no anexo V da Lei Orçamentária Anual (LOA), por meio de intervenção direta do ministro Lewandowski.

Reunião com Amarildo

Passava das 21 horas quando coordenadores da Fenajufe e dirigentes sindicais foram recebidos pelo diretor geral do STF. Na reunião, Amarildo Vieira informou que o ministro Lewandowski teria entrado em contato com o vice-presidente da República, Michel Temer, para buscar um acordo.

Além da busca pela aprovação da reposição salarial dos servidores, a tentativa de acordo visa a garantir o máximo possível de recursos financeiros no anexo V da LOA, para assegurar a reposição salarial em 2015.

Ainda que não haja sinalização do governo até o momento para votar o reajuste dos servidores, continua a cobrança para que o presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, busquem um acordo com o Palácio do Planalto e cumpram a promessa de manter atrelados os reajustes de servidores, magistrados e membros do MPU, trabalhando para que sejam aprovados em conjunto.