EUA admitem dificuldade para implantação da ALCA após fracasso em Cancún


Por Marcela Cornelli

O fracasso das negociações multilaterais em Cancún atrasou o calendário de implantação da Alca (Área de Livre Comércio das Américas) e empurrou os EUA a buscarem a integração comercial no hemisfério por meio de acordos bilaterais. A avaliação é de Roger Noriega, o subsecretário de Estado americano para o Hemisfério Ocidental. “Será muito difícil termos um acordo para a Alca após o fracasso em Cancún”, afirmou o subsecretário.

Adotando um tom bastante crítico em relação à atuação do Brasil na reunião da OMC (Organização Mundial do Comércio) em Cancún, o principal diplomata americano responsável pelas Américas disse que o fracasso no México deve impossibilitar a implantação da Alca no prazo estabelecido de 2005.

Questionado sobre a disputa pela liderança das negociações na Alca com o governo brasileiro, cujo processo de implantação é co-presidido por Brasil e EUA, Noriega disse: “Para ser um líder, é necessário ter seguidores. Francamente, os países da região terão de tomar sua decisão sobre o que é melhor para eles”. Noriega não escondeu a irritação dos EUA com a posição de países como Brasil e Índia em Cancún, chamando as atitudes do bloco de “táticas de guerrilha”. “Nós captamos a mensagem”, disse ele, criticando a “exagerada encenação política” no debate sobre comércio global no México, encerrado sem acordo no domingo.

Da Redação com informações da Agência Folha