Dá prá esperar 11 meses com o atual salário e só então começar a lutar?


Quem acessar a página da câmara dos deputados e procurar o PL 5845/05 poderá encontrar as tabelas do parcelamento propostas por Geddel Vieira Lima em seu relatório e conferir o que representa a parcela prevista para junho, caso consigamos aprovar o PCS com recursos orçamentários até lá. Convém a todos fazerem as contas referentes ao seu caso indivi-dual para ter noção exata de por que estamos em greve. É conveniente também dar uma olhada no seu saldo bancário. Estas duas ações bem rápi-das de fazer devem dissipar qualquer dúvida que ainda se tenha sobre entrar ou não no movimento.
Ou resolvemos isso agora com o fortalecimento da greve ou não tere-mos nenhuma perspectiva antes do ano que vem de recuperar ainda que parcialmente o poder aquisitivo per-dido. No segundo semestre o país es-tará mergulhado numa acirrada cam-panha eleitoral para a presidência e para a renovação dos mandatos dos deputados e senadores, além de go-vernadores e deputados estaduais. O ano que vem só começa em fevereiro quando o novo Congresso eleito toma posse. O primeiro mês (fevereiro), além do Carnaval é tomado pelas dis-putas pelas presidências de Câmara, Senado e Comissões que só começam a trabalhar mesmo em março. Além disso, qualquer que seja o Presidente da República eleito, ele estará num momento de grande força política decorrente da vitória eleitoral. Força inclusive para enfrentar uma mobi-lização de servidores e até mesmo nos derrotar. Entretanto, se conquistarmos o PCS agora (que todos os candidatos precisam de nosso voto), com os re- cursos orçamentários necessários, re-solveremos não apenas nosso proble-ma imediato com a primeira parcela de junho como também garantimos por antecipação parcelas em janeiro de 2007 e janeiro de 2008 o que nos pou-pará de lutas bem mais difíceis de fazer quando os candidatos já estarão eleitos e não precisarão mais de eleitores pelos 4 anos seguintes.
O que devemos pensar agora é se podemos continuar com os salários de hoje, pelos próximos 11 meses para só aí termos condições de começar a lutar ou se vamos agarrar a nossa melhor chance aqui e agora.