Centro de Florianópolis se transforma em praça de guerra


Da Redação do Unaberta

Ontem, por volta das 18h, iniciou-se um confronto entre os manifestantes que protestavam contra o aumento das tarifas de ônibus na Capital e policiais militares na avenida Paulo Fontes, no centro de Florianópolis.

A confusão teria iniciado quando os policiais tentaram prender um estudante e começaram a empurrar os manifestantes para fora da faixa de pedestre onde estes estavam sentados. Algumas pessoas que estavam entre os manifestantes também jogaram rojões em direção aos policiais, provocando o avanço da tropa. Os manifestantes estavam trancando a avenida Paulo Fontes. Os policiais partiram em direção aos manifestantes, que revidaram atirando pedras e paus nos PMs. Houve muito corre-corre e gritaria. Bombas de efeito moral e de pimenta chegaram a ser lançadas durante a confusão.

Os estudantes e a população tentaram se refugiar no Camelódromo e nas imediações do Mercado Público.

Nesta quinta pela manhã, os ônibus circulam normalmente por Florianópolis. Cerca de 30 manifestantes estão no Terminal de Integração de Canasvieiras (Tican), mas não impedem a saída dos carros. Na Trindade, também houve protesto no início da manhã.

Os manifestantes protestam pela redução no preço das tarifas do transporte público. Desde o último domingo, o reajuste médio nas passagens foi de 15,6%.

Os protestos começaram na segunda. Ontem a pressão das empresas e da prefeitura aumentou. Alguns estudantes foram presos, entre eles o líder do Movimento pelo Passe Livre, Marcelo Pomar.

Agora pela manhã, a situação está mais calma e não há previsão de fechamento do Terminal de Integração do Centro (Ticen) como ocorreu nos últimos três dias.

Fonte: Universidade Aberta