Centrais Sindicais do Cone Sul defendem suspensão de acordo com Israel


Em documento enviado aos coordenadores do Mercosul, as Centrais Sindicais do Cone Sul, incluindo a Central Única dos Trabalhadores, defenderam nesta quarta-feira (19) a imediata suspensão do acordo do bloco com Israel.
“Ante a escalada de violência que se está vivendo no Oriente Médio com a manutenção da política de agressão à Palestina e os ataques bélicos ao Líbano pelo Estado de Israel, que já provocaram centenas de mortes de homens, mulheres e crianças nesse país, pedimos aos governos do Mercosul que suspendam as negociações de um acordo comercial do bloco com esse país”, afirma a nota.
Os sindicalistas solicitam também “que os cinco governos expressem uma firme oposição a estas agressões e exijam que a ONU faça cumprir suas decisões quanto à promoção da paz naquela região, o fim imediato das agressões e que apliquem as sanções correspondentes”.
O documento é assinado pelo secretário-geral da Coordenadora de Centrais Sindicais do Cone Sul, Valdir Vicente de Barros, em nome das representações da Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Fonte: Agência CUT