Centrais sindicais divulgam nota sobre reforma trabalhista


Por Marcela Cormnelli

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada hoje pela CUT, CGT e Força Sinidcal sobre a reforma trabalhista

Nota das Centrais Sindicais

Reunidas hoje, dia 13 de fevereiro, em Brasília, no Fórum Nacional do Trabalho, as centrais sindicais que estão discutindo o termos da reforma sindical manifestam sua estranheza e sua preocupação com as declarações de ontem do presidente da republica sobre mudanças na legislação trabalhista.
A CUT, a Força Sindical e a CGT consideram que a discussão da Reforma Trabalhista só deve ser feita em 2005, após a reforma da estrutura sindical, onde se discutem a organização sindical no local de trabalho e novas formas de resolução de conflitos e os contratos coletivos nacionais, assim como a legalização das centrais sindicais para o fortalecimento do sindicalismo realmente representativo e a superação do sindicalismo corporativista e de gaveta.
A reforma da legislação trabalhista é consenso entre trabalhadores, empregadores e governo, mas é agenda para discussão no seu devido tempo. Além do mais, tal reforma deve ser feita para ampliar, não para retirar direitos de trabalhadores.
As palavras do Presidente da República sobre flexibilização da legislação trabalhista, principalmente num momento de reduzida atividade econômica, alto desemprego e queda de renda, não só são inoportunas e inadequadas, como podem comprometer os avanços obtidos, até agora, nos acordos para reforma sindical.

Brasília, 13 fevereiro de 2004.

Central Única dos Trabalhadores – CUT
Força Sindical
Confederação Geral dos Trabalhadores – CGT