Bancários: Greve em Florianópolis e Região chega nesta terça ao 15º dia


Os bancários de Florianópolis e Região decidiram em assembléia realizada no fim da tarde desta segunda, dia 9, manter a greve por tempo indeterminado. Nesta terça, 10, o movimento chega ao seu 15º dia. Havia previsão de negociação específica com a Caixa e com o BB nesta segunda no final do dia, mas a categoria deliberou pela continuidade da paralisação, pois até o fim da assembléia não havia confirmação de que as negociações fossem ocorrer. Os bancários voltam a se reunir nesta terça-feira, dia 10 às 16h30min no antigo Cine Ritz (Rua Arcipreste Paiva, nº 11, Centro, em frente ao Hotel Cecontur).
Como foi a segunda-feira – A paralisação dos bancários de Florianópolis e Região se manteve forte em seu 14º dia. Nesta segunda, 9, a categoria fechou quase 100% das agências da CEF ((ficaram abertas apenas uma agência e dois PABs para atendimento específico). A adesão também aumentou nas agências do BB (82% fechadas) e do BESC (53%). Já em Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça e Santo Amaro da Imperatriz, a greve é de 100% no BB e quase total do BESC.
Em Santa Catarina, além dos bancários de Florianópolis e Região continuam paralisados os trabalhadores em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Araranguá, Pinhalzinho, Xanxerê, Palmitos, Quilombo, Xaxim, Coronel Freitas, São Lourenço do Oeste, Joaçaba, Herval D‘Oeste, Jabora, Campos Novos, Capinzal, Catanduvas, Água Doce, Fraiburgo, Campos Novos, Capinzal, Luzerna, São Miguel do Oeste, Dionísio Cerqueira, Maravilha, Anchieta, Guaraciaba, Descanso, Concórdia, Seara, Piratuba, Rio do Sul e Ituporanga.
Nacionalmente a Greve continua forte em Estados como Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Alagoas, Paraíba, Sergipe, Espírito Santo, Pará, Amapá, Rio de Janeiro, Piauí, Goiás, além de Brasília, Belo Horizonte e Curitiba.
Em São Paulo, cerca de 35 mil bancários paralisaram suas atividades em 416 locais de trabalho entre agências e centros administrativos. Funcionários de importantes centros administrativos e tecnológicos também aderiram à greve, a exemplo do Centro Tecnológico e Operacional do Itaú (CTO) e o Centro Administrativo do Unibanco (CAU). Pela manhã, o Bradesco Alphaville também parou nesta segunda.

Fonte: SEEB Florianópolis e Região, com informações da Contraf/CUT