Audiência Pública discute o caso Pinheirinho, a criminalização dos Movimentos Sociais no Brasil e Santa Catarina e a questão urbana


A criminalização dos movimentos sociais e da pobreza é uma constante na vida dos trabalhadores e da juventude. É assim nas greves com demissões e interditos proibitórios. É assim nas ocupações de reitoria e nas manifestações de rua com processos de perseguição. É assim nas ocupações urbanas por moradia e nas ocupações no campo por terra que chegam até a assassinatos. 

No último dia 22 de janeiro, quando 1.600 famílias foram expulsas brutalmente do Pinheirinho, em São José dos Campos/SP, constituindo-se até então numa das maiores ocupações urbanas da América Latina, mais um infeliz capítulo foi escrito na história do nosso país, demonstrando que a criminalização da pobreza e dos movimentos sociais infelizmente não é coisa do passado. 

Tendo isso em vista, o COMITÊ FLORIANÓPOLIS EM SOLIDARIEDADE AOS MORADORES DO PINHEIRINHO E EM DEFESA DA MORADIA convida a todos os sindicatos, entidades estudantis, associações de bairro, movimentos populares, partidos políticos, parlamentares, intelectuais, juristas, enfim, todos aqueles e aquelas identificados com as lutas democráticas e da classe trabalhadora a participarem da Audiência Pública que debaterá “A criminalização dos Movimentos Sociais no Brasil e Santa Catarina” no dia 16/03 (sexta) às 15h no Plenarinho da ALESC (Assembleia Legislativa dos Estado de Santa Catarina).

Venha Debater, Participar e Construir a Luta!!!

Audiência Pública: “A criminalização dos Movimentos Sociais no Brasil e Santa Catarina”

Data e Hora: 16/03 (sexta) às 15h

Local: Plenarinho da ALESC (Assembleia Legislativa dos Estado de Santa Catarina) – Rua Dr. Jorge Luz Fontes, 310, Centro.

 

COMITÊ FLORIANÓPOLIS EM SOLIDARIEDADE AOS MORADORES DO PINHEIRINHO E EM DEFESA DA MORADIA