Ato em SP abre contagem regressiva para o FSM 2004


Por Marcela Cornelli

Mumbai (Índia), São Paulo, Porto Alegre e Quito (Equador) sediam nos dias 2 e 3 de setembro atividades de lançamento do Fórum Social Mundial 2004, que pela primeira vez será realizado fora do Brasil, na Índia. O ato em São Paulo ocorre nesta terça. Amanhã é a vez de Porto Alegre organizar a cerimônia.

A realização do FSM na Índia foi posta em dúvida depois que atentados terroristas ocorridos em Mumbai (ex-Bombaim) no último dia 25 mataram 46 pessoas e deixaram 150 feridas. No entanto, o Comitê Organizador Indiano reuniu-se dias depois e garantiu a realização do evento.

“Nós confiamos no rápido poder de recuperação da cidade de Mumbai e no apoio de seus cidadãos”, disse a nota assinada por Gautam Mody, Vivek Monteiro e Jaya Velankar, membros do Comitê Organizador Indiano.

O lançamento em São Paulo será marcado pelo debate “De Porto Alegre a Mumbai: perspectivas do Fórum Social Mundial e do movimento antiglobalização”, com a presença de Boaventura de Sousa Santos, Christophe Aguiton, Fátima Mello, Maria Elisa Cevasco e Teivo Teivainen. Estarão presentes membros da Secretaria do FSM, do Conselho Brasileiro e do Conselho Internacional do FSM.

O evento acontece às 19 horas, no Teatro da USP do Centro Universitário. O ato de lançamento também marcará a mobilização para o Fórum Social Brasileiro (www.fsb.org.br), a ser realizado em Belo Horizonte (MG).

Hoje os lançamentos do FSM 2004 também acontecerão em Porto Alegre (na Usina do Gasômetro, sala 209, às 18h30min), Mumbai, na Índia, e Quito, no Equador. Este último evento marcará também o lançamento do Fórum Social das Américas, a ser realizado entre os dias 8 e 13 de março de 2004.

Cerca de 75 mil participantes, dos quais 10 mil estrangeiros, são esperados para o FSM 2004, que contará também com um Acampamento da Juventude com cerca de 10 a 15 mil pessoas.

Para o Fórum Social Mundial na Índia, estão sendo propostos os seguintes focos de debate:

– globalização imperialista
– sectarismo religioso, políticas de identidade e fundamentalismo
– castas, racismo e exclusão social
– patriarcado
– militarização

A metodologia do FSM 2004 prevê a realização de 4 painéis diariamente no período da manhã, dos quais um será em formato de mesas de debates, 200 atividades autogestionadas (à tarde), além de testemunhos e vozes de resistência e uma conferência (à noite) em torno dos seguintes eixos amplos:

– Militarização, guerra e paz
– Mídia, informação, conhecimento e cultura
– Democracia, segurança ambiental e econômica
– Exclusão, discriminação, dignidade, direitos e igualdade

Mais informações na página www.forumsocialmundial.org.br.

Fonte: Agência Carta Maior