Assembléia não aprova participação do Sindicato na comissão do concurso


Em assembléia realizada no dia 28 de janeiro, na frente do TRT, a direção do SINTRAJUSC apresentou a seguinte pauta: 1 – participação do Sindicato na Comissão que organiza o concurso público do TRT e 2 – mudança das Varas para novo prédio. Com relação ao primeiro item, a diretoria apresentou os motivos pelos quais está questionando a escolha da empresa, que tem pouca atuação em concursos públicos do mesmo porte e da mesma natureza, sendo que há empresas com mais qualificação e experiência na área. Foi aprovado que o Sindicato não integrará a Comissão que organiza o concurso.
 

No requerimento enviado ao TRT foram citados os problemas em outro concurso e que foram alvo de uma ação popular em 2002. Em conversa com diretores do Sindicato, o Presidente do Tribunal, juiz Marcus Pina Mugnaini, disse que só suspenderia o concurso se houvesse motivos fortes para isso. Dessa forma, a assembléia apresentou nova informação, a de que, no primeiro concurso da Liquigás, parte das provas teve que ser reaplicada porque foram constatados vários problemas, como falta de exames suficientes e também exames trocados em algumas localidades do país. O motivo disso foram as divergências encontradas entre o número de inscrições realizadas por meio de instituições bancárias e os controles de inscrição mantidos pelo Instituto Cetro, que fará a prova do TRT. O fato ocorreu em meados de dezembro.

Por isso também foi aprovada a proposta de que o SINTRAJUSC encaminhe ao Presidente do TRT o fato novo sobre a empresa e que, se não forem tomadas providências no sentido de cancelamento do concurso, que se faça denúncia no MPF, isso porque também é papel do Sindicato fiscalizar o que é de interesse público.
 
Com relação ao segundo item, a mudança das Varas, a diretoria listou os prédios que estão sendo avaliados para a mudança, uma na Beira-mar, da CEF, outro na Esteves Júnior, da Saúde, e um terceiro na Conselheiro Mafra, da prefeitura de Florianópolis. A discussão abordou vários aspectos, como o preço de cada uma, a necessidade ou não de reformas mais amplas, a questão do espaço interno, dos estacionamentos, da ventilação, já que serão os servidores das Varas os trabalhadores que mais tempo vão passar no novo prédio, e a mudança os afeta diretamente. Apontou-se, portanto, vantagens e desvantagens dos três prédios.
 
Foram apresentadas as seguintes sugestões: 1 – que se forme uma comissão para visitar os três prédios e verificar os itens discutidos; 2 – que o Sindicato busque, na Administração, indicar pessoas que façam parte da comissão que está avaliando a mudança e o local para onde vão as Varas. Esses servidores terão que representar as sete Varas mais a Distribuição; 3 – que a mudança leve em conta a possibilidade de implantação de bicicletários e de chuveiros, novas necessidades surgidas em função da questão ambiental e do caótico trânsito da Capital. As propostas foram aprovadas por unanimidade.
 
Ao final da assembléia, a direção do SINTRAJUSC informou que o Sindicato vai realizar o seu Congresso nos dias 8 e 9 de março.
 
Fonte: Sintrajusc