América Latina tem 19 milhões de desempregados, diz OIT


Por Janice Miranda

A recente recuperação na economia de alguns países da América Latina – entre eles a Argentina – não foi suficiente para melhorar a situação do emprego na região. Dados de relatório divulgado nesta quarta-feira pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) mostram que, no final de 2003, existiam 19 milhões de desempregados urbanos na região. Isso representa 11% da população em idade economicamente ativa.

Jovens e mulheres são os mais afetados pela crise. Nos países em que houve melhora na oferta de emprego –como Chile e Argentina–, as vagas foram, em sua maioria, preenchidas pelos homens.

Além disso, os poucos postos que foram gerados não trouxeram melhorias para a qualidade do emprego. Há aumento da informalidade, queda da renda e dos salários reais, aumento da carga horário e redução da produtividade

Desemprego
Os jovens são os mais afetados pela crise do emprego que atinge os países da América Latina, segundo o estudo da OIT. O Brasil, ao lado de outros cinco países da região, está na lista dos que tiveram a situação piorada para os jovens em 2003.

De acordo com a OIT, um em cada três jovens da região está desempregado. De um total de nove países pesquisados (Argentina, Brasil, México, Chile, Uruguai, Venezuela, Costa Rica, Colômbia e Peru) a taxa de desemprego entre jovens chega ao dobro da taxa de emprego total – que é de 11%. Em países como a Argentina e Chile, o desemprego juvenil aumentou, apesar de ambos os países terem registrado melhora na oferta de trabalho no ano passado.

Fonte: Folha On Line