1º de Maio na Tríplice Fronteira une trabalhadores de sete países


Com a palavra integração na ordem do dia, centrais sindicais e sindicatos da Argentina, Paraguai, Uruguai, Uruguai, Chile e Bolívia, se encontraram em Foz do Iguaçu neste 1º de Maio. O evento, organizado pela CUT e Coordenadoria das Centrais Sindicais do Cone Sul, reuniu cerca de 15 mil pessoas.
Foram mais de 10 horas de programação cultural no Gramadão da Vila “A”. Além dos trabalhadores dos países vizinhos, caravanas promovidas por várias entidades sindicais paranaenses e de outros estados participaram da tarde festiva na Tríplice Fronteira – área limítrofe entre o Brasil (Paraná), o Paraguai e a Argentina.
O músico Renato Teixeira foi a principal atração da festa, que contou ainda com Geraldo Cardozo (forró pé serra), Viento Sur (grupo musical latino-americano radicado no Brasil), Encanto Negro (Uruguai), Tetaguá (Paraguai) e Dante Ramon Ledesma (argentino-brasileiro). Uma feira de agricultura familiar e uma feira de artesanato também compuseram a festa do trabalhador. A Prefeitura de Foz do Iguaçu e a Itaipu Binacional deram apoio ao evento, que vem se repetindo todos os anos e afirmando sua dimensão internacional.
Como principal bandeira, a integração latino-americana dos trabalhadores pautou os discursos das lideranças sindicais e políticas, principalmente a integração como alternativa para o projeto estadunidense da Alca (Área de Livre Comércio das Américas). A CUT também defendeu a formação de uma comissão paritária entre trabalhadores, patrões e governos para encontrar uma solução econômica para a Tríplice Fronteira.

Fonte: Diário Vermelho (Nilton Bobato)