XIII Plenária da Fenajufe reafirma calendário de mobilização pelo PCS


Os delegados e observadores que participaram da XIII Plenária Nacional da Fenajufe, realizada em Natal/RN, de 19 a 21 de maio, fizeram uma avaliação, na plenária final, do movimento grevista pela aprovação do projeto que revisa o Plano de Cargos e Salários dos servidores do Judiciário Federal. As propostas de resoluções e do plano de lutas foram aprovadas nos grupos, que se reuniram no sábado à tarde, e apresentadas na plenária final, no domingo. Algumas foram aprovadas pelos delegados e outras rejeitadas, não entrando, portanto, no plano de lutas e nas resoluções das XIII Plenária Nacional da Fenajufe.

Entre os itens do plano de lutas aprovados nos grupos e referendados na plenária final se destaca o texto referente ao calendário de mobilizações pela aprovação do PCS. Por ampla maioria, os delegados reafirmaram a orientação do Comando Nacional de Greve, aprovada na última quarta-feira, 17 de maio, de suspender a greve e manter as mobilizações, em Brasília e nos estados, e permanecer em estado de greve. O plenário também aprovou o calendário, que inclui reunião ampliada no dia 28 de maio, rodada nacional de assembléias no dia 30 e retomada da greve nacional no dia 31 de maio, caso as negociações entre os três poderes não sejam concluídas até esta semana com um acordo que prevê a dotação orçamentária para a implementação do novo PCS.

Confira a íntegra do item do plano de lutas sobre o calendário de greve aprovado na XIII Plenária Nacional da Fenajufe:

Considerando a aprovação do indicativo de suspensão da greve nacional dos trabalhadores do Judiciário Federal, pelo Comando Nacional de Greve da Fenajufe, no dia 17 de maio último, a XIII Plenária Nacional da Fenajufe referenda a decisão e o calendário indicado pelo comando, conforme segue:
– Suspensão da greve.
– Declaração de estado de greve.
– Reunião ampliada, com caráter deliberativo, no próximo dia 28 de maio.
– Rodada nacional de assembléias no próximo dia 30 de maio.
– Retomada da greve nacional no dia 31, caso as negociações não sejam finalizadas até esta semana.

Essa proposta foi defendida pelos diretores da Fenajufe Roberto Policarpo e Jacqueline Albuquerque. Defenderam contrário esse texto o servidor do TRT da Barra Funda/SP e delegado de base do Sintrajud/SP, Henrique Sales Costa, e o diretor do Sintrajud/SP, Antônio dos Anjos Melquíades [Melque].

Os delegados de São Paulo defenderam que a plenária aprovasse o retorno imediato à greve, conforme decisão dos servidores do estado, que em assembléia da semana passada decidiram continuar com os trabalhos paralisados até a aprovação final do novo Plano, com a garantia de previsão orçamentária. Para eles, é fundamental que os trabalhadores permaneçam em greve, uma vê que não há nenhuma resposta concreta do governo sobre as negociações.

Já os diretores da Fenajufe reafirmaram a decisão do Comando Nacional de Greve, cuja reunião do dia 17 de maio contou com a participação de representantes de 18 sindicatos. Os dirigentes da Federação ressaltaram que a orientação do comando foi uma decisão tomada pelo conjunto das entidades e que, se em dez dias o governo não apresentar uma proposta satisfatória, a saída dos trabalhadores do Judiciário Federal será retomar a greve no dia 31 de maio. “Não fechamos nenhum acordo com o governo, mas com os representantes dos estados, que deram um prazo de dez dias para um resultado efetivo das negociações. Se isso não acontecer, voltaremos à greve no próximo dia 31”, reafirmou Jacqueline.
Da redação – Leonor Costa/Fenajufe