Violência contra a mulher são problemas de saúde pública, revela pesquisa


Por Marcela Cornelli

Ainda que as mulheres sejam maioria na população brasileira e as principais usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), a violência doméstica e sexual são os principais indicadores da discriminação de gênero contra a mulher, segundo dados de uma pesquisa coordenada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2002.

O estudo, que no Brasil foi realizado em São Paulo e na Zona da Mata de Pernambuco, confirma que a violência sexual e/ou doméstica é um grave problema de saúde pública, mesmo que apenas 16% das mulheres em São Paulo buscaram hospitais ou centros de saúde após sofrerem algum tipo de violência.

De acordo com a pesquisa, tanto em São Paulo como na Zona da Mata em Pernambuco, as mulheres que foram violentadas mostram de duas a três vezes mais intenção de cometer suicídio do que aquelas que não sofreram nenhum abuso. Das que tiveram lesões como cortes, fraturas, contusões, entre outros, 36% delas ficaram tão machucadas que precisaram de auxílio médico.

Fonte: Agência Brasil