TODOS AO ATO HOJE NO TRE!


A sessão da Comissão de Finanças e Tributação (CFT), que deveria colocar o projeto de revisão salarial da categoria em pauta nesta quarta-feira, dia 6, foi adiada mais uma vez. O projeto foi retirado de pauta há duas semanas a pedido do presidente do STF, ministro Ayres Britto, que buscaria, neste intervalo, uma negociação com o Executivo para tratar do projeto da categoria. Mas até o momento nada aconteceu, e o próprio presidente do STF não dá garantias de nada quanto à aprovação do projeto.

 

 

No dia 16 de junho se completarão dois anos de PCS “dormindo” na CFT. O governo Dilma ordena, nas reuniões, que os deputados da base aliada não compareçam à sessão, impedindo quórum para votação.

 

Nenhum dos três PCSs ficou tanto tempo engavetado numa comissão da Câmara dos Deputados. Agora, o presidente da CFT, deputado Antonio Andrade, alega que sua comissão está “imobilizada” e diz que os “servidores estão abertos a uma contraproposta” que para ele pode ser com parcelamento do PCS até 2015!

Com os seis anos de congelamento salarial e dois anos com o PCS “engavetado” na CFT, a categoria exige o PCS para 2012!

Para isso, a resposta dos trabalhadores será a intensificação das jornadas de mobilização e paralisação.

Nossa resposta será dada nesta terça-feira, dia 5, às 16 horas, em ATO/ASSEMBLEIA NO TRE da Capital.

Sem uma forte pressão nos estados, as negociações em Brasília vão ser embarrigadas pelo governo para depois das eleições. Não vamos deixar! Vamos à luta para mudar essa história! Em todo o país os Sindicatos estão mobilizando a categoria e Santa Catarina não pode ficar de fora!

Todos nós temos que botar a mão na consciência e buscar fazer a nossa parte pelo PCS, e o mínimo que se pode fazer é dar pelo menos uma horinha para fortalecer o nosso movimento, que é fundamental para toda a categoria.

No Ato vamos partir um bolo para simbolizar o lamentável aniversário de engavetamento, por já dois anos, do PL 6613/09 na CFT da Câmara dos Deputados.

Agora é a nossa vez! Venha para o ATO/ASSEMBLÉIA fazer valer a sua voz e a nossa luta. Não dá para amargar mais sabes e lá quantos anos sem reajuste salarial!