STF nega habeas corpus a Arruda, que continuará preso


 

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello negou nesta sexta-feira o pedido de habeas corpus formulado pelos advogados do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), que continuará preso na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, sob a acusação de tentar subornar uma testemunha do suposto mensalão do DEM . Mais cedo, em entrevista à GloboNews TV por telefone, Marco Aurélio disse que, na decisão sobre o habeas corpus, prevaleceria o bom direito e o respeito às regras. Segundo ele, é o preço que se paga por vivermos num estado democrático de direito. Um preço módico que está ao alcance de todos, inclusive do governador.

Arruda não conseguiu dormir e está sofrido
O chefe da Casa Militar do governo do DF, coronel Ivan Gonçalves da Rocha, esteve nesta manhã com Arruda e afirmou que ele não conseguiu dormir e está sofrido. Ninguém consegue dormir numa situação como esta. Ele está sofrido, mas está bem. Ele disse que acredita em Deus e que a Justiça vai ser feita. É uma situação humilhante para um governador de Estado – disse o chefe da Casa Militar.

 

Pedidos de impeachment de Arruda serão analisados após o carnaval
Na próxima quinta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do DF vai se reunir para analisar três pedidos de impeachment de Arruda. A decisão foi tomada na manhã desta sexta-feira durante reunião da Mesa Diretora.
Desde o início da crise, em novembro, a Câmara Legislativa recebeu oito pedidos de impeachment de Arruda. Mas, como a base governista é maioria na Casa, os pedidos não chegaram a ser apreciados.
A prisão do governador e o pedido de intervenção fizeram com que os parlamentares mudassem de comportamento, o que me dá a esperança de que a gente poderá avançar nas investigações e na punição dos envolvidos nesse escândalo – afirmou o deputado Paulo Tadeu (PT).
O deputado Chico Leite (PT) disse esperar que, na mesma reunião, os pedidos de impeachment do governador em exercício, Paulo Octávio (DEM), também sejam analisados. Ele também é acusado envolvimento no escândalo.

OAB-DF vai pedir impeachment de Paulo Octávio
A Ordem dos Advogados do Brasil no DF informou que vai entrar ainda nesta sexta-feira com um pedido de impeachment de Paulo Octávio . Para o presidente da OAB-DF, Francisco Caputo, o impedimento deve ser aplicado também ao vice.
Nada justifica a posse do vice Paulo Octávio. É público e notório que ele está envolvido no escândalo e não tem condições jurídicas e políticas para suceder o governador em caso de afastamento determinado pela justiça – avaliou Caputo.
Por 12 votos a 2, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decretou, na véspera, a prisão preventiva de Arruda e de outros cinco suspeitos de oferecer dinheiro para calar uma testemunha do escândalo. É a primeira vez no regime democrático que um governador é preso no exercício do mandato.
O STJ também determinou o afastamento de Arruda do cargo. Para não passar pelo constrangimento de ser preso, o governador se apresentou à PF, antes mesmo da chegada do mandado de prisão. Mas tomou o cuidado de enviar antes, à Câmara Legislativa, uma mensagem em que pede afastamento do cargo por tempo indeterminado.
Além disso, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, também requereu ao STF intervenção federal no DF. O presidente da Corte, Gilmar Mendes, solicitou informações ao governo do DF, que deverão ser prestadas no prazo de cinco dias.

 FONTE: oglobo.com.br