Servidores rechaçaram a reforma sindical


Por Marcela Cornelli

Um debate sobre a reforma sindical na rampa do TRT às 13h deu início às atividades do Dia da Resposta, ontem em Florianópolis.

No debate os servidores puderam esclarecer dúvidas sobre a reforma sindical, analisando a proposta final do Fórum Nacional do Trabalho, que deverá ser encaminhada pelo presidente Lula ao Congresso Nacional.

Ficou claro que a reforma sindical vai enfraquecer direitos dos trabalhadores, sendo que se aprovada essa reforma, o negociado vai prevalecer sobre o legislado, as negociações entre trabalhadores e empregadores serão realizadas em comissões de arbitragem privadas, e só se não houver consenso, é que a Justiça do Trabalho será acionada, o que provocaria um esvaziamento da justiça trabalhista. Além disso, tira o poder de decisão das bases e concentra nas centrais sindicais. O diretor do SINTRAJUSC e da Fenajufe, Caio Teixeira, conduziu o debate. Caio disse que a posição da federação é que esta proposta de reforma sindical deve ser rejeitada por todos os trabalhadores e de que a CUT deve se retirar das negociações do Fórum Nacional do Trabalho. O Diretor ressaltou ainda que este não é o momento certo de se fazer a reforma sindical, quando o país atravessa um estagnação na economia e o desemprego continua alto. Na opinião do diretor os trabalhadores estão em condições desfavoráveis para realizar qualquer tipo de negociação com os patrões, o que os deixaria a mercê de quem detém o capital.

Por fim, os servidores avaliaram que qualquer proposta que retire direitos dos trabalhadores deve ser rejeitada.

Da Redação