Servidores pressionam para derrubar veto em sessão hoje


Os servidores fazem Ato Unificado hoje, às 15 horas, na Justiça Federal, dentro do Apagão nacional pela derrubada do veto ao PLC 28/2015. Esta semana é decisiva para a Greve do Judiciário. Na semana passada, milhares de servidores foram à Brasília e pressionaram para o cancelamento da sessão do Congresso Nacional, que ocorreria na quarta-feira, 19, já que o PLC 28/2015 não estava pautado. Foi necessária muita luta, mas conseguiram, e a partir disso o veto 26 passou a trancar a pauta do Congresso Nacional.
 
Há possibilidade de que a inclusão obrigatória do Veto 26 na pauta seja terça-feira, 25. Para fazer frente a esse importante momento, a categoria está realizando mobilização em todos os estados a fim de reforçar a pressão nacional. SC mais uma vez enviou delegação de servidores para Brasília.
 
Para pressionar o Congresso Nacional a rejeitar o Veto 26, servidores do Judiciário Federal realizarão novo protesto hoje, no gramado em frente ao Congresso Nacional. A concentração acontece a partir das 15 horas.
 
Na manhã de ontem, servidores do Judiciário Federal de Santa Catarina fizeram uma calorosa recepção ao Ministro Ricardo Lewandowski. Gritos de repúdio à proposta de recomposição salarial acordada entre STF e Executivo deram o tom do Ato e a categoria permanece em Greve. Lewandowski entrou pela porta dos fundos do TJ/SC e não falou com os servidores.
 
Apoios
 
A luta dos servidores do Judiciário federal vem conquistando apoios importantes na magistratura federal. Desta  vez,  foi do presidente  do  Tribunal  Regional Federal da 1ª Região, desembargador federal Cândido Ribeiro, que saiu o pedido de apoio aos deputados federais e senadores, para que o Veto 26 seja incluído na pauta da sessão conjunta do Congresso Nacional. A solicitação foi feita através de ofícios expedidos na manhã da sexta-feira, 21. O  TRF1  abrange  o  Distrito Federal e os Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rondônia, Roraima e Tocantins.