Servidores do TRT têm dificuldades para cumprir acordo


Servidores do TRT estão procurando Coordenadores do Sindicato porque não conseguiram cumprir o acordo feito com a Administração para reposição de horas em função da Greve em 2010. Como os acordos foram formalizados individualmente, mais servidores talvez enfrentem este problema. Vale lembrar que o Vice-Presidente do Tribunal, Gerson Taboada, havia alegado ilegitimidade do Sindicato para discutir acordos individuais, posição retirada em Sessão do Pleno do TRT12 no dia 13 de dezembro, quando ficou claro que o Sindicato não havia peticionado sobre o assunto.

Ao contrário do alegado pela Administração, os grevistas em Assembléia não aceitaram a proposta de repor todas as horas até o dia 19.12.2010, com o cumprimento de duas horas extras diárias, simplesmente por “intransigência”. Alertamos a Administração, durante a negociação, sobre a possibilidade de ocorreram problemas desta ordem, independentemente da vontade do servidor.

O Sindicato entendia que o acordo proposto não era viável, tanto pela ilegalidade de se cobrar jornada de nove horas diárias quanto por questões como acúmulo de férias, horário especial de estudante, e em especial, porque era uma forma, afinal de contas, de punir os grevistas, bem distante do discurso de conciliação tão difundido nos Tribunais.

A posição do SINTRAJUSC, portanto, não era de intransigência, e sim no sentido de ressaltar que a reposição de trabalho, como nas nossas lutas anteriores, sempre se mostrou compatível com as necessidades dos jurisdicionados e da Administração. Qual foi o motivo para não conciliar quando, na Greve de 2009, o agora Presidente, então Corregedor, aprovou a proposta de reposição de trabalho?

Fonte: SINTRAJUSC