Servidores do INSS em Greve protestam nesta quarta, dia 24/6


O protesto será em frente à Agência do INSS da Avenida Ivo Silveira, a partir das 10 horas, no bairro Capoeiras, em Florianópolis
 
A Greve dos servidores do INSS completou hoje (23/6) 8 dias. Os trabalhadores do Seguro Social (INSS) deflagraram Greve por tempo indeterminado no dia 16 de junho em todo o País. Já aderiram à Greve nacional os estados de Santa Catarina, Distrito Federal, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Piauí, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Ceará, Pará, Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Sergipe, Amazonas. Em Santa Catarina, a Greve já atinge 70% das Agências da Previdência Social. Há servidores em Greve nas cidades de: Florianópolis, São José, Alfredo Wagner, Biguaçú, Palhoça, Tijucas, Blumenau, Brusque, Itajaí, Rio do Sul,Timbó, Joinville, Mafra, São Bento do Sul, Criciúma, Tubarão, Içara, Sombrio, Chapecó e Miguel do Oeste.
Nesta quarta-feira, dia 24/6, os servidores do INSS da Grande Florianópolis em Greve se reúnem em um ato de protesto, a partir das 10 horas, em frente à Agência da Previdência Social da Avenida Ivo Silveira, no bairro Capoeiras, na Capital.
Na última sexta-feira, dia 19/6, os servidores em Greve do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina realizaram um protesto em frente à Gerência Regional Sul do INSS, ocuparam o prédio e foram recebidos pela Gerente Regional Sul do INSS, Eliane Schmidt, que se comprometeu em ajudar para a abertura das negociações junto ao INSS e ao Ministério da Previdência em Brasília.
 
Ato Estadual em Itajaí na sexta, dia 26/6 – Aproveitando a vinda do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Itajaí na sexta-feira, dia 26 de junho, os servidores do INSS de Santa Catarina realizam um ato público, a partir das 10 horas, em frente ao Centro de Eventos da Marejada. Os servidores tentarão entregar um documento ao Presidente com as reivindicações dos trabalhadores. 
Os servidores do INSS entraram em Greve devido ao descumprimento de um acordo com o governo federal assinado em 2005. No acordo, o governo prometia discutir a regulamentação da Carreira dos trabalhadores, as condições de trabalho, a carga horária, entre outras medidas. No entanto, o governo não cumpriu o que prometeu e no dia 25 de maio baixou a Resolução nº 65, aumentando a carga horária dos trabalhadores do INSS de 6 horas para 8 horas e reduzindo os salários dos servidores que optarem por fazer 6 horas.