Servidores do Incra promovem ato sexta-feira, 20/07, ao completar dois meses em greve


O servidores públicos federais do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) promovem sexta-feira, dia 20, às 9 horas, um ato público em frente ao órgão, na Rua Jerônimo Coelho, 185, Centro de Florianópolis – inclusive com direito a bolo – para assinalar dois meses de paralisação. Mais de 80% das unidades do Incra em todo o país estão em greve.
 
Os servidores do Incra reivindicam aumento salarial, criação de um plano de cargos e salários, reestruturação da carreira e realização de concurso público para admissão de novos servidores. A falta de equiparação das condições de trabalho dos servidores do Incra com os servidores de outros órgãos federais assemelhados é admitida pelo próprio governo que, no entanto, não parece disposto à ceder às reivindicações dos grevistas.
 
No Incra, esta é a quinta greve no governo Lula. “As nossas reivindicações são as mesmas de sempre: melhores salários, reforma agrária e a reestruturação do órgão”, afirma a secretária de Organização Sindical do Sintrafesc e servidora do Incra, Maria das Graças Albert. “Mas temos esperança, porque o governo aceitou negociar, mesmo com o(a)s servidore(a)s em greve, pois sabe que a paralisação é forte e não vamos desistir”, acrescentou.
 
Segundo o presidente do Sintrafesc, Lírio José Téo, “houve intensa mobilização dos servidores, pressão junto aos parlamentares em Brasília, atos públicos, batalhas judiciais e busca de apoio em setores da sociedade e também em vários escalões do próprio Executivo”.
 
Os grevistas querem a contratação de 4 mil funcionários e a incorporação das gratificações, que em muitos casos representam 85% da remuneração. Dos 6.100 funcionários existentes hoje no Incra, 1.600 estão para se aposentar. O órgão já teve, na década de 80, mais de 10 mil funcionários, quando as demandas representavam um terço das atuais.
 
Fonte: Sintrafesc