Senado vota hoje (23) o “novo” salário mínimo e vai mexer com a vida de todos os trabalhadores


 (22.02.2011) – Na semana passada o governo conseguiu aprovar na Câmara dos Deputados a sua proposta de salário mínimo de R$ 545. Infelizmente a proposta foi aprovada por amplíssima maioria dos votos. Houve uma grande manifestação dos servidores federais em Braília que fez pressão sobre os parlamentares e depois ocupou as galerias. O ato reuniu cerca de 5 mil servidores e lançou a campanha salarial da categoria. O fato é que  essa “votação” (na verdade será apenas uma confirmação do arranjo de votos praticado pelos deputados) mesmo não definindo diretamente os salários dos servidores acabará mexendo com a vida e o bolso de todo mundo. Ou é possível acreditar que vivemos sem inflação: sem arrocho salarial?

        Apenas por esses imediatos motivos e -por tantos outros- se faz necessário unificarmos a luta em defesa dos servidores e dos serviços públicos com as demais lutas como a defesa de um salário mínimo digno, da aposentadoria e pelo fim do fator previdenciário e contra qualquer flexibilização de direitos. Ou será que o que se viu na semana passada na Câmara dos deputados não foi um atentado terrível contra a justiça, a ética e o direito de todo e qualquer trabalhador brasileiro? O arrocho salarial concretizado na proposta do atual mínimo é mais que um desrespeito a quem luta e trabalha nesse país.   

 

Fonte: Sintrajusc