Resolução sobre conjuntura nacional aponta alternativas para superar crise


No início dos trabalhos da plenária final, no dia 7, os participantes da XV Plenária Nacional, em Manaus, debateram as propostas de resolução sobre conjuntura internacional e nacional. A luta pelo Plano de Carreira e pela superação dos efeitos da crise econômica foi o ponto mais presente nas falas de quem apresentou as propostas.

No debate sobre a conjuntura nacional, duas propostas de resolução foram colocadas em votação na plenária final. O texto aprovado foi apresentado pelo coordenador da Fenajufe Roberto Policarpo e pelo diretor do Sisejufe/RJ Roberto Ponciano. A outra proposta de resolução sobre conjuntura foi defendida pela diretora do Sintrajnud/SP Ana Luiza Figueiredo.

Durante a defesa da proposta, Policarpo afirmou que os trabalhadores não podem pagar pela crise econômica, mas que as entidades sindicais que os representam devem apontar iniciativas concretas para superar os efeitos da recessão no Brasil. Ele citou alguns eixos de luta que constam da pauta da CUT Nacional e que a Fenajufe deve encampar, como: nenhuma demissão e estabilidade no emprego; ratificação imediata da Convenção 158 da OIT; fim do superávit primário; revogação da Lei de Responsabilidade Fiscal; reforma agrária; fim dos leilões do petróleo e participação na campanha “o Pré-Sal é nosso”; respeito aos acordos firmados com os servidores públicos federais; e fortalecimento do setor público.

Policarpo afirmou que embora a bandeira prioritária da categoria no momento seja a conquista do Plano de Carreira, os servidores do Judiciário Federal e do MPU devem atuar com conjunto da classe trabalhadora. “No Brasil, a CUT tem liderado a campanha de combate à crise. O Dia Nacional de Mobilização se caracteriza como data na qual trabalhadores dão uma resposta contundente em defesa da redução dos juros e da jornada de trabalho sem redução de salário, de investimentos na reforma agrária, na geração de empregos, bem como a valorização dos salários e garantir de direitos. […] Vamos construir uma agenda para debater a radicalização da democracia, incluindo a democracia direta, com plebiscitos para decidir as grandes questões econômicas e políticas, e a urgente necessidade de democratizar os meios de comunicação”, afirma trechos da resolução aprovada sobre conjuntura nacional.
Da Fenajufe – Leonor Costa