Reforma trabalhista avança: pressione os senadores a votar contra o projeto


Veja no final da mensagem a lista de membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado que, na quarta-feira (28), votam o projeto de “reforma” trabalhista que ataca a CLT (PLC 38/17). A pressão sobre eles tem que aumentar e, para isso, anexamos mensagem a ser enviada à Comissão. No final do grupo de e-mail também estão os dos três senadores catarinenses, Dalirio Beber (PSDB), Dário Berger (PMDB) e Paulo Bauer (PSDB), que também devem ser pressionados, porque depois da apreciação na CCJ o projeto vai a plenário. O senador Dalirio Beber, na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), votou contra os trabalhadores.

____________________________________________________________________________________

Senhor(a) senador(a):

Nas ruas e em pesquisas de opinião, a grande maioria da população brasileira tem se manifestado de forma contrária à reforma trabalhista proposta pelo governo de Michel Temer. Um governo com enorme reprovação popular quer colocar no lixo conquistas fundamentais que os trabalhadores tiveram nas últimas décadas.

A reforma trabalhista defendida pelo governo carrega diversos ataques à CLT e à Justiça do Trabalho. Amplia a jornada de trabalho, permite a contratação de funcionários sem horário fixo – tendo o trabalhador que ficar à disposição do patrão – e desregulamenta boa parte das relações de trabalho consagradas no país. Sempre em prejuízo direto dos trabalhadores, que, de sua posição mais frágil, terão, na prática, que aceitar tudo o que os patrões definirem, na lógica do "quer, quer, não quer, tem quem queira".

Em relação à Justiça do Trabalho, as possibilidades de acesso dos trabalhadores seriam restringidas e a instituição seria enfraquecida, atacando o Poder Judiciário. Não é por acaso que servidores e juízes estão unidos na rejeição à reforma.

Por isso, chamamos o(a) senhor(a) à reflexão em relação à importância de honrar os votos dos brasileiros e rejeitar na íntegra essa reforma que trará enormes prejuízos ao Brasil e aos brasileiros, empobrecendo a população e prejudicando também a economia do país. Chamamos o(a) senhor(a) a votar NÃO à reforma trabalhista e SIM ao direito dos trabalhadores brasileiros.

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA DO SENADO:

edison.lobao@senador.leg.br; eduardo.braga@senador.leg.br; jader.barbalho@senador.leg.br; simone.tebet@senadora.leg.br; valdir.raupp@senador.leg.br; marta.suplicy@senadora.leg.br; jose.maranhao@senador.leg.br; acir@senador.leg.br; antonio.anastasia@senador.leg.br; flexa.ribeiro@senador.leg.br; maria.carmo.alves@senadora.leg.br; ronaldo.caiado@senador.leg.br; benedito.lira@senador.leg.br; wilder.morais@senador.leg.br; lasier.martins@senador.leg.br; antoniocarlosvaladares@senador.leg.br; robertorocha@senador.leg.br; randolfe.rodrigues@senador.leg.br; armando.monteiro@senador.leg.br; magno.malta@senador.leg.br; eduardo.lopes@senador.leg.br; jorge.viana@senador.leg.br; jose.pimentel@senador.leg.br; fatima.bezerra@senadora.leg.br; gleisi@senadora.leg.br; paulopaim@senador.leg.br; dalirio.beber@senador.leg.br; dario.berger@senador.leg.br; paulo.bauer@senador.leg.br