Reforma Sindical deve chegar ao Congresso em novembro


Por Marcela Cornelli

O ministro do Trabalho e Emprego, Jaques Wagner, afirmou hoje que o grande desafio do país será produzir uma política econômica onde o trabalho, emprego e renda sejam encarados como uma política mais inteligente que a inclusão social. Segundo ele, todas as políticas de transferência de renda ou políticas compensatórias são bem-vindas para aqueles que estão no último ponto da linha de exclusão. “Mas eu entendo que todos nós temos consciência que essas políticas não são nem definitivas, nem superadoras dos dramas sociais em que vivemos. Por isso, para o Ministério do Trabalho, a melhor política social é a de inclusão via trabalho-renda”, assegurou.

O ministro Jaques Wagner discursou na abertura do seminário “Inclusão Social pelo Trabalho Decente e o Sistema de Fomento”, no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ele criticou a idéia que “só é possível atrair investimento e crescer se for implantada uma política de precarização e desregularização do mercado de trabalho”.

Ao sair do seminário o ministro Jaques Wagner informou que em novembro o ministério deverá enviar o projeto de Reforma Sindical para o Congresso Nacional.

Da Redação com informações da Agência Brasil