Pretos e pardos ganham metade dos salários dos brancos


O IBGE divulgou pesquisa nesta sexta mostrando que a população de cor de pele declaradamente preta e parda tem menos escolaridade e um rendimento médio equivalente à metade do recebido pela população que se declara branca, na média das seis regiões metropolitanas investigadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME).
Na análise segundo a posição na ocupação, no total das seis regiões analisadas, o maior diferencial foi entre os trabalhadores por conta própria: R$ 533,28 para pretos e pardos, contra R$ 1046,16 para os brancos. Já os trabalhadores domésticos apresentaram a menor diferença: os brancos recebiam 14,2% a mais que os pretos e pardos.
À exceção de serviços domésticos, em Porto Alegre, todos os grupamentos de atividade tinham rendimentos mais elevados para os brancos que para os pretos e pardos.
Assim, quanto ao rendimento habitual, pretos e pardos recebiam menos que os brancos, ainda que em relação ao mesmo nível educacional, grupamento de atividade, ou posição na ocupação.
Também se investigou os rendimentos selecionando-se um grupo mais homogêneo: homens de 18 a 49 anos de idade e com 11 anos ou mais de estudo. Desagregado por grupamentos de atividade e por posição na ocupação, o subgrupo manteve a diferenciação de rendimentos entre os brancos e os pretos e pardos.
Desta vez, embora ainda elevada, a maior diferença nos rendimentos observada não foi para os trabalhadores por conta própria (75,5%) mas, sim, para os empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado (97,9%).
Outro aspecto interessante deste subgrupo foi o elevado diferencial no rendimento entre os brancos e os pretos e pardos observado na construção (105,6%).
Já nos domicílios, cuja pessoa de referência era preta ou parda, o rendimento per capita, no total das seis regiões era de R$ 417,23, enquanto para os domicílios com principal responsável branco foi de R$ 950,46.
A proporção entre ambos é mais que o dobro. Em Salvador a situação era mais delicada: a proporção entre esses indicadores era de três para um, como mostra o gráfico abaixo.

Fonte: ClicRBS