Polícia Judicial: CNJ pauta processo para esta terça (1/9)


O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) colocou em pauta o Processo de criação da Polícia Judicial Federal para votação na primeira sessão do mês de setembro, nestar terça-feira (1). A apreciação do tema é aguardada com ansiedade pela categoria com expectativa de vitória.

Em reunião entre os coordenadores Fernando Freitas, Roberto Policarpo e o secretário geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Carlos Vieira Von Adamek, a Fenajufe cobrou posição urgente do Conselho quanto ao processo de criação da Policia Judicial Federal.

Na ocasião, o secretário informou aos coordenadores que as discussões já estavam adiantadas e que o Conselho iria apresentar a proposta de minuta para o presidente Ministro Dias Toffolli, antes que ele deixasse o cargo. O CNJ reconhece a luta da Fenajufe nesse sentido e sinaliza para uma possível votação favorável.

No início do ano a Fenajufe encaminhou a pauta de reivindicações da categoria tanto no CNJ quanto no STF em que consta em um dos itens a implementação da Polícia Judicial Federal, que é um pleito antigo da categoria do segmento dos agentes e inspetores de segurança do PJU.

Ainda no mês de julho a Fenajufe se reuniu de forma virtual com o relator do processo, Mário Augusto Guerreiro, que prometeu encaminhar o processo ao plenário. Atendendo a Federação, o processo será o oitavo ponto de pauta na sessão do dia 1º.

Para a Fenajufe, “o Poder Judiciário não pode prescindir de uma estrutura policial própria, sob pena de ficar â mercê de toda a sorte de intempéries. Deve por isso empreender várias ações de fortalecimento da segurança judiciária. A criação da polícia judicial não fere a independência entre os poderes, ao contrário, apenas corrige uma inquestionável necessidade do Poder Judiciário da União e de suas instituições a uma realidade grave de violência

A sessão do CNJ está com horário previsto para começar às 14 horas. A Fenajufe fará o acompanhamento, assim como o Sintrajusc, que vem acompanhando a discussão.

Joana Darc Melo, da Fenajufe, com edição do Sintrajusc