PCS: não vamos jogar a toalha!


A Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta quinta-feira, 15, os 10 relatórios setoriais da proposta orçamentária para 2012 (PLN 28/11). As votações só foram possíveis depois que os líderes dos partidos com assento no colegiado fecharam um acordo de procedimentos, com o calendário de votações até a próxima semana. A partir

A fase setorial foi marcada por poucos embates políticos e rápidas votações. Um acordo dos líderes, fechado na semana passada, permitiu que todos os destaques apresentados nessa fase fossem rejeitados e remetidos ao relator-geral, que decidirá se vai incluí-los no texto final. Segundo Chinaglia, a conta que chegou a ele soma R$ 63 bilhões. “É impossível atender tudo isso”, adiantou.

Na quarta-feira, 21, será apreciado o parecer final do deputado Chinaglia. Se tudo der certo, o Plenário do Congresso vai votar o projeto na quinta, 22, último dia de trabalho do Legislativo.

Segundo a Agência Câmara, em relação ao reajuste dos servidores do Judiciário e do MPU, que lotaram a reunião da comissão nesta quinta, o representante do governo, deputado Gilmar Machado (PT-MG), disse que o assunto ainda não está fechado.

Cerca de 200 servidores da categoria acamparam em frente ao STF, em Brasília, durante os dias 14 e 15. A decisão de levantar o acampamento foi tomada na tarde desta quinta, após um dia de intensa movimentação dos manifestantes na capital federal, em que parte dos servidores acampados foi ao Congresso Nacional pressionar os parlamentares para a votação do PCS e outra parte permaneceu no acampamento.

Em relação às conversas que disse manter junto a parlamentares da base aliada, Peluso confirmou aos coordenadores da Fenajufe a informação repassada pelo deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), em reunião com dirigentes da Federação. Durante encontro com parlamentares do PMDB, o presidente do STF disse que não vai abrir mão do reajuste previsto no PL 6613/09 e afirmou que não tem acordo com uma proposta de aumento rebaixado.

O ministro disse ainda, aos dirigentes sindicais, que “a força está com vocês”, afirmando que o resultado das negociações depende da atuação da Fenajufe e dos servidores. Peluso, no entanto, ao ser perguntado enfaticamente por coordenadores da Federação se a própria presidenta Dilma havia dito a ele que não concederá o reajuste aos servidores do Judiciário, disse “sim”, mas hesitou ao responder.

O embate que a categoria fez em Brasília, com o despacho do ministro Fux, gerou mal-estar no Congresso, criou desgaste político para o governo Dilma e expôs nossa capacidade de intervenção política, mostrando que a luta vai ter, independentemente dos resultados da semana que vem, novos desbramentos em 2012. Portanto, vamos nos manter atentos e com disposição de luta para arrancarmos o PCS.

Da Fenajufe