Nada de novo ainda nas negociações


Por Marcela Cornelli

Até o momento não começou a negociação sobre a GAJ com o Executivo. O Presidente do STF se reuniu apenas com o Chefe da Casa Civil, ontem, mas a reunião para discutir a GAJ deverá contar com a presença dos ministros do Planejamento e da Fazenda, o que poderá ocorrer hoje. A Fenajufe está de plantão no STF, aguardando notícias.

Neste momento precisamos da união de todos para forçar a negociação rápida. Chamamos todos a descer e pegarmos juntos nesta luta.

Além dos estados que já estavam na greve, o TRT da Paraíba está totalmente parado hoje e realizam assembléia à tarde para discutir a adesão por tempo indeterminado. Brasília tem assembléia hoje com indicativo da diretoria de greve por tempo indeterminado, tendo em vista que não há novidades na negociação.

Reforçar as mobilizações e realizar rodada nacional de assembléias hoje. Essa é a orientação do Comando Nacional de Greve e de Mobilização do Judiciário Federal e do Ministério Público da União, que se reuniu no último sábado (5/6), em Brasília. No encontro, representantes de 12 estados (MT, SC, PE, PB, PI, RS, MA, PA, SP, GO, BA e DF) avaliaram a greve nacional da categoria e decidiram que os sindicatos devem realizar rodada de assembléias hoje, com o objetivo de unificar as atividades em todos os estados. O SINTRAJUSC já convocou Assembléia Estadual para hoje, às 15h, em frente ao TRT, quando vamos avaliar as negociações em Brasília e decidir os rumos do movimento.

No mês passado. a Fenajufe apresentou ao Supremo Tribunal Federal a pauta de reivindicação geral e específica da categoria, sendo estabelecidos como prioritários os seguintes pontos: aumento da GAJ para 50% com incorporação, instituição da jornada de seis horas em todos os órgãos do Judiciário, equiparação dos benefícios entre os tribunais, antecipação da última parcela do PCS e elaboração do plano de carreira dos servidores do Judiciário e MPU. Na ocasião, o ministro Nelson Jobim considerou justas as reivindicações dos servidores, mas disse que naquele momento iria se empenhar para garantir junto ao Executivo o aumento da GAJ para 30%, equiparando-a com o percentual aplicado no MPU, e que os demais pontos seriam remetidos à Comissão Interdisciplinar no STF.

O Comando orienta que as assembléias avaliem a contraproposta apresentada pelo ministro de aumento da GAJ para 30%. É preciso considerar que a proposta ainda será finalizada após as negociações da cúpula do Judiciário com o Executivo. Por isso, esta semana será decisiva para a luta atual da categoria, tornando-se fundamental mantermos e reforçarmos as mobilizações. Chamamos todos a participar da Assembléia hoje às 15 horas.

Da Redação