Greve pela revisão salarial começa forte no TRT do Paraná


Segundo avaliação da diretoria do Sinjutra-PR, a greve começou forte na Justiça do Trabalho do Paraná, nesta segunda-feira [23]. Para a coordenadora do sindicato Carla Rovel, o caminho é intensificar o movimento e mostrar a força da categoria, depois que o ministro Gilmar Mendes recebeu os representantes dos servidores na última quinta-feira, inclusive tentando reprimir a greve.

“Precisamos mostrar que unidos temos muita força e dar continuidade à luta pela revisão salarial, algo que consideramos justo, de equiparação salarial a carreiras correlatas”, afirmou Carla.

O servidor José Canella defendeu que toda a categoria participe da mobilização. “Se não fizermos nada agora, acontecerá o mesmo que aconteceu com outras carreiras do serviço público que hoje estão desvalorizadas”, disse. Ele ainda argumentou que a luta não é somente dos servidores, e sim de toda a sociedade, pois a valorização do servidor público reflete no atendimento de qualidade à população.

Nesta segunda-feira [23], em meio à mobilização, a direção do sindicato se reuniu à tarde com a presidente do TRT da 9ª Região, Rosalie Michaele Bacila Batista, para solicitar a suspensão dos prazos no regional paranaense. A presidente informou aos representantes do Sinjutra que amanhã [25] estará em Brasília, mas que o vice-presidente, no exercício da presidência, desembargador Luiz Eduardo Gunther e o diretor-geral do Fórum Trabalhista de Curitiba, José Aparecido dos Santos, iriam se reunir na manhã desta terça-feira para tratar do assunto.

Adesão à greve começa bem
O sindicato apurou que mais da de das Varas do Trabalho de Curitiba teve os trabalhos paralisados no primeiro dia da greve por tempo indeterminado. Em Colombo, trabalharam somente os juízes e a direção da Vara. Araucária parou uma das duas varas da cidade. São José dos Pinhais teve suas três Varas paralisadas, além da Distribuição. Na cidade, já houve suspensão dos prazos, o mesmo aconteceu com a 6ª Vara da capital, que se antecipou às ordens da administração e já baixou portaria suspendendo os prazos.

Irati e Apucarana também pararam. Maringá e Londrina aguardam visita da direção do Sinjutra para iniciar a paralisação. Em assembleia, realizada ontem, os servidores de Foz do Iguaçu decidiram parar por tempo indeterminado, e as três Varas e a Distribuição estão com os trabalhos paralisados a partir desta terça-feira.

O Sinjutra informa que a coordenadora Carla Rovel viajará a Londrina para iniciar as visitas ao interior do estado, com o objetivo de defender a unidade de todos os servidores do Judiciário Federal do Paraná em prol do envio imediato do projeto de revisão salarial ao Congresso Nacional.

A coordenação do sindicato avalia como boa a adesão à paralisação no primeiro dia da greve e vai buscar a intensificação do movimento nos próximos dias. “O início das visitas ao interior trará ainda mais força ao movimento, que já começou expressivo. Londrina é um pólo muito importante e as cidades da região tendem a acompanhá-la”, apontou Carla.

Na capital, a categoria continua promovendo mobilização no saguão das Varas Trabalhistas.

Fonte: Sinjutra-PR