Greve no BESC começa com força


Por Marcela Cornelli

Em assembléia realizada ontem, os funcionários do BESC decidiram dar continuidade ao movimento de greve, em função da intransigência da direção do BESC, que ainda não apresentou proposta de reposição para os trabalhadores. O Sindicato estranha que o presidente do banco tenha escolhido a imprensa e não a mesa de negociação para discutir a campanha salarial com os trabalhadores. Em entrevista concedida ontem à imprensa, Mescolotto pediu trégua aos trabalhadores. Ao mesmo tempo, porém, afirmou que só discutiria a campanha salarial no ano que vem. Isso depois de em pelo menos duas oportunidades a diretoria do banco ter se comprometido a apresentar proposta sobre as cláusulas econômicas da pauta de reivindicação deste ano. Durante a entrevista, o presidente do banco afirmou também que os empregados em greve serão responsáveis pelos prejuízos que venham a inviabilizar o banco e prepará-lo para a privatização. O Sindicato responde: o banco só não foi privatizado pela luta dos trabalhadores. A intransigência partiu da direção do banco, que não está cumprindo o que prometeu. A única forma de ter trégua é respeitando o compromisso assumido com os trabalhadores. Enquanto continuar a intransigência e o pouco caso, continua a greve. Hoje, às 16h30min, a categoria realiza nova assembléia no auditório da Catedral para discutir os rumos da greve do BESC.

Fonte: Sindicato dos Bancários de SC