Fórum Social Brasileiro inicia hoje em Belo Horizonte


Por Marcela Cornelli

Começa nesta quinta (6/11) em Belo Horizonte o I Fórum Social Brasileiro, encontro que integra o processo político internacional do Fórum Social Mundial. Como primeiro evento do FSM focado exclusivamente em questões brasileiras, o FSB pretende aprofundar os debates sobre os alcances, as conseqüências e as singularidades da globalização no Brasil, além de discutir o papel do país no mundo e ampliar o enraizamento do FSM nas várias regiões do país.

Segundo os organizadores, cerca de 20 mil pessoas ligadas a 1.500 entidades (das quais 40 são estrangeiras) estão sendo esperadas. A programação do evento, definida por uma série de organizações de todo o país, integrantes do Conselho Brasileiro do FSM, se divide entre conferências: Alca, OMC e dependência externa: estratégias econômicas de dominação e Globalização Armada e militarização na América Latina; Superação do neoliberalismo por meio de projetos democráticos, populares, não sexistas e anti-racistas de desenvolvimento sustentável; Justiça social, direitos humanos, igualdade entre mulheres e homens, gerações e superação do preconceito racial no Brasil; além de cerca de 140 atividades propostas pelas organizações participantes, como oficinas, seminários e debates.

Todas as atividades do FSB estão ligadas, de alguma forma, aos eixos temático “Imperialismo”, “O Brasil que Temos e o Brasil que Queremos” e “Movimentos Sociais”, que norteiam as discussões do evento. Para o assessor de relações internacionais do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, Geraldo Fontes, as organizações ligadas à Coordenação Nacional dos Movimentos Sociais estarão discutindo uma série de campanhas de mobilização da sociedade, com o objetivo de fortalecer as demandas sociais junto ao governo Lula. “Queremos unir forças para ajudar o presidente Lula a implementar as propostas que levaram o país a elegê-lo. O FSB não será, de forma nenhuma, um tribunal ou fórum de julgamento do governo. Ainda estamos na fase das proposições”, afirma Fontes. Segundo ele, a função dos movimentos é contribuir com projetos, como o Plano Nacional de Reforma Agrária, co-elaborado pelo MST e apresentado ao governo pelo economista Plínio de Arruda Sampaio em outubro passado.

As atividades do FSB acontecerão no Estádio Mineirinho, Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto Sagrada Família e Palácio das Artes, em Belo horizonte.

Fórum Social Mundial 2004 na Índia
O próximo encontro mundial do Fórum Social Mundial deve acontecer em Mumbai, na Índia, entre os dias 16 e 21 de janeiro de 2004. O FSM surgiu em 2001 como contraponto ao Fórum Econômico Mundial (Fórum de Davos) e reuniu centenas de organizações e ativistas contrários à chamada globalização neoliberal em seus encontros anuais em Porto Alegre (2001, 2002 e 2003). Hoje, o FSM se transformou em um dos maiores movimentos mundiais de debate sobre justiça global. Compreendendo uma pauta ampla de questões como direitos humanos, luta contra a guerra e pela paz, economia solidária, gênero, soberania alimentar, entre outros, o FSM vem mobilizando um número cada vez maior de pessoas sob o lema “um outro mundo é possível”. Até o final do ano, acontecerão outros sete fóruns sociais de caráter regional, nacional e continental na América Latina, Europa e Oceania.

Site do Fórum Social Brasileiro: http://www.fsb.org.br/

Fonte: Agência Carta Maior