Fortalecer o dia 27 e preparar o Dia nacional de Lutas, em 11 de julho, convocado pelas centrais sindicais


11 de julho será o Dia Nacional de Lutas. Essa foi a definição das centrais sindicais brasileiras, CSP-Conlutas, CUT, UGT, Força Sindical, CGTB, CTB, CSB e NCST, juntamente com o MST e o Dieese, em reunião realizada nesta terça-feira (25) convocada para debater o processo de lutas que tomou conta do país. O Dia Nacional de Lutas terá como tema: “Pelas liberdades democráticas e pelos direitos dos trabalhadores”.

A pauta de reivindicações consensual é redução das tarifas e melhoria da qualidade do transporte coletivo, mais investimentos em saúde e educação públicas, contra os leilões das reservas de petróleo e em defesa do patrimônio público, fim do fator previdenciário e valorização das aposentadorias, redução da jornada de trabalho e contra o PL 4330 (que regulamenta a terceirização), reforma agrária.

A luta da juventude pela redução da tarifa deu exemplo ao conquistar a revogação do aumento em diversas cidades brasileiras, principalmente nas maiores, Rio de Janeiro e São Paulo.

Em nota publicada em seu site, a CSP-Conlutas afirma que já estará nas ruas com greves, paralisações a manifestações de diversas categorias, do movimento popular e dos estudantes nestes dias 26 e 27 de junho. “Vamos fortalecer esse nosso dia de luta nacional para que ele sirva de preparação para o dia 11 de julho”, pontua a nota.

“É hora de os trabalhadores irem às ruas unificados e levantarem bandeiras comuns de suas demandas. Além da participação nas mobilizações que estão acontecendo, entrará de forma organizada nesta luta. Precisamos cobrar que governo Dilma atenda demandas que não têm sido ouvidas. Essa mesma cobrança devemos fazer aos governos estaduais e municipais, sejam eles do PT, do PSDB, do PMDB ou outro partido, pois eles os responsáveis pela difícil situação do nosso povo”, conclui a nota.