Diretoria da Fenajufe reforça orientação para mobilizações no dia 14


No próximo dia 14 de setembro, quarta-feira da semana que vem, todos os sindicatos precisam intensificar as mobilizações com a categoria em todo o país. Além disso, devem enviar representantes a Brasília para pressionar os deputados da Comissão de Finanças e Tributação [CFT] a cumprirem o compromisso, firmado pelo presidente Cláudio Puty [PT-PA], de votar o PL 6613/09 ainda na primeira quinzena de setembro. Esse calendário, aprovado na última reunião ampliada da categoria, é reforçado pela Diretoria Executiva da Fenajufe, que se reuniu nesta segunda-feira [05], na sede da Federação, em Brasília.

Na reunião os coordenadores da Federação avaliaram o cenário político envolvendo os projetos de revisão salarial e, diante das dificuldades enfrentadas pela categoria, que se agravam a cada dia, a conclusão é que não resta outra opção que não seja o fortalecimento da luta em nível nacional. Para a Fenajufe, no conteúdo da mensagem enviada na última sexta-feira [02] ao Congresso Nacional, a presidente da República Dilma Rousseff confirma a intenção do governo em não conceder reajuste salarial para os servidores do Judiciário Federal e MPU. Ao invés de se comprometer com a reivindicação da categoria, ela utiliza a crise econômica que atinge os Estados Unidos e países da Europa para reafirmar sua intenção de manter a política de reajuste zero ao funcionalismo público. E reforçando essa posição, jornais da grande imprensa ainda trazem declarações de setores do governo se posicionando contrários ao reajuste e argumentando que não há acordo para votar os projetos.

Ainda que o Palácio do Planalto tenha cedido às pressões da cúpula do Judiciário e voltado atrás na sua posição em relação à proposta de Lei Orçamentária Anual, tal atitude serve de alerta para que toda a categoria aumente a mobilização e atenda ao chamado da Federação e dos sindicatos para as atividades que serão realizadas nas próximas semanas, principalmente diante da intenção do governo de manter sua posição contra o aumento dos servidores. As pressões no Congresso devem aumentar, uma vez que estará nas mãos dos parlamentares a responsabilidade de votar a Lei Orçamentária do ano que vem com a previsão do plano de cargos e salários.

Sindicatos devem informar resultados das assembleias
No período de 15 a 17 de setembro será realizada rodada nacional de assembleias, quando a categoria vai avaliar o resultado das pressões do dia 14 e discutir a possibilidade de uma nova greve por tempo indeterminado, caso não tenha havido qualquer avanço na tramitação dos PCSs. Nesses encontros os sindicatos precisam colocar para a categoria o verdadeiro cenário de dificuldades e conscientizá-la que o reajuste salarial será conquistado somente com uma mobilização forte e unificada.