Dia 8 servidores em SC se somam à Greve dos Federais


Os servidores do Judiciário em SC irão se somar à luta do funcionalismo público por revisão salarial e valorização da carreira. Em paralisação de duas horas na quinta-feira, 2 de agosto, no TRE, com Assembleia Geral, foi aprovada, por maioria, Greve no dia 8 de agosto, quarta-feira. Os servidores farão a paralisação concentrados na Justiça do Trabalho, Federal e Eleitoral. Também foi aprovado que se faça Reunião Setorial para deliberar sobre os próximos encaminhamentos, que serão levados no mesmo dia (8) para uma Assembleia Geral às 17 horas no TRE.

As falas na Assembleia foram incisivas no sentido de ser este um momento estratégico para aumentar a pressão sobre o governo Dilma, que já admite, nos meios de comunicação, os efeitos que as Greves estão provocando no país. Servidores do interior do estado também pararam por duas horas no dia 2 e decidiram aderir à Greve no dia 8.

Decreto abusivo

A Condsef (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Serviço Público Federal) vai entrar com ação de inconstitucionalidade no STF contra o Decreto n° 7.777, editado semana passada pela presidente Dilma Rousseff. Os servidores da base da Condsef estão paralisados há 42 dias.

O decreto é considerado abusivo e uma afronta à democracia e determina a substituição de servidores grevistas por servidores de outras esferas de poder e até mesmo permite a contratação de terceirizados para assumir, na Greve, cargos ocupados por servidores de carreira. “Mesmo frente ao bombardeio e inúmeras tentativas do governo Dilma de acabar com a paralisação no setor público a greve só faz aumentar. A grande motivação continua sendo a do atendimento de reivindicações urgentes com apresentação imediata de uma proposta do governo que possa ser analisada pelos servidores em todo o Brasil na busca por um acordo”, afirma a Confederação.

 

Mais adesões

Os servidores decidiram endurecer a paralisação após o Ministério do Planejamento adiar as negociações. Inicialmente, o órgão havia se comprometido a apresentar proposta até dia 31 de julho. Há urgência na definição dos reajustes. A menos de um mês do prazo final, 31 de agosto, para que o governo encaminhe projetos de lei ao Congresso Nacional com previsão orçamentária para 2013, a intransigência nos processos de negociação continua incentivando o reforço na Greve geral do funcionalismo. Novas categorias anunciaram que podem aderir à paralisação por tempo indeterminado, como é o caso da Polícia Federal, dos servidores do Judiciário, parte deles já em Greve, e fiscais federais da Agricultura.

No Executivo, segundo informações da Condsef, outras categorias também devem reforçar a unidade e pressão para garantir a apresentação de propostas do governo e o atendimento das reivindicações mais urgentes dos trabalhadores do setor público.

Servidores da Imprensa Nacional pararam atividades por 24 horas, interrompendo a publicação da edição do Diário Oficial da União (DOU) de quinta. Servidores da SPU (Superintendência do Patrimônio da União) também podem aprovar Greve. Quarta-feira será a nossa vez de avançar na construção da luta, que em 31 de agosto tem prazo final para conquistar a aprovação do reajuste.

Mobilização no interior

Itajaí

1º e 3º Varas Federais e parte do setor administrativo paralisaram das 15 às 17 horas no dia 2

 

Chapecó

Fizeram reunião das 15 às 17 no dia 2, com servidores das três Justiças concentrados na Justiça Federal

*Irão aderir à Greve do dia 8, com Reunião Setorial às16 horas na Justiça Trabalho

 

Criciúma – JF

*Fizeram reunião no dia 2 e decidiram paralisar no dia 8