Desarmamento tem mais apoio entre pessoas de baixa renda


Os brasileiros de baixa renda e que moram nas periferias das grandes cidades são os que mais defendem o banimento do uso de armas de fogo no Brasil. Esta é uma das constatações da pesquisa do Ibope, realizada no período de 14 as 18 deste mês, que ouviu mais de 2 mil pessoas representando todas as camadas sociais.
No plano nacional, conforme a pesquisa, 81% dos eleitores com mais de 16 anos pretendem se pronunciar favoravelmente à proibição do comércio de armas de fogo e munições no referendo já convocado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para o próximo dia 23 de outubro – 17% são contra e 2% não sabem ou não quiseram opinar. Nas faixas das famílias que percebem de um a dois salários mínimos, o apoio sobe a 84%, próximo dos 83% registrados para as faixas que ganham no máximo um salário. Nas camadas mais ricas, com renda superior a dez mínimos, o apoio ao desarmamento cai para 71%, embora também seja considerado um índice expressivo.
Em outro quesito da pesquisa é possível perceber que os moradores das chamadas periferias das grandes cidades não suportam conviver com a violência. Nestas localidades, o desarmamento obteria o voto sim de 84% das pessoas, contra 81% nas capitais e nos pequenos municípios do interior. Quanto às regiões, o voto sim chega a 86% no Norte e Centro-Oeste, descendo a 70% no Sul. No Sudeste, onde se concentra a maior parte da população brasileira, o desarmamento tem a simpatia de 81% dos eleitores, subindo para 85% no Nordeste.
As mulheres, com base na pesquisa, poderiam ser consideradas mais “pacifistas” que os homens – 86% delas querem o desarmamento, ficando os homens com 76%. Em relação ao grau de instrução, a proposta é bem recebida por 77% dos brasileiros que têm curso superior e por 80% daqueles que estudaram no máximo até a 4ª série do ensino fundamental.

Fonte: Agência Senado