CUT divulga nota criticando acordo com FMI


Por Marcela Cornelli

Leia abaixo nota da CUT sobre novo acordo do Brasil com o FMI:

Nota sobre acordo com o FMI

Diante de informações veiculadas pela mídia dando conta de que o governo brasileiro pretende fechar acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), a Central Única dos Trabalhadores (CUT) vem a público manifestar sua posição crítica em relação aos termos desta renovação que, no fundamental, trazem restrições ao crescimento e geração de empregos em nosso País.

A manutenção da meta de superávit fiscal (4,25% sobre o PIB de 2004), ainda que com pequena flexibilização (utilização do excedente de superávit atingido em 2003), dificulta as possibilidades da expansão dos investimentos públicos.

Para a CUT, o acordo com o FMI não apresenta nenhuma solução para o problema do perfil e do montante da dívida pública brasileira. Esta dívida já atinge o patamar de 60% do PIB e gera um montante de serviços (juros anuais) da ordem de US$ 150 bilhões, mais do que o dobro de toda meta de superávit fiscal.

Luiz Marinho
Presidente da CUT
São Paulo, 6 de novembro de 2003

Fonte: CUT Nacional