Cresce mobilização em torno da Coordenação dos Movimentos Sociais


Cresce a adesão à Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), conforme avaliação dos integrantes do movimento, surgido para se contrapor à onda conservadora que tenta voltar ao governo no País. A CMS exige a apuração das denúncias de corrupção que tomaram conta do País, capitaneadas pelo setor conservador da sociedade. Os dirigentes da Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS) realizaram no último dia 16 de julho em Brasília uma reunião para avaliar a conjuntura e os desdobramentos do processo de mobilização nacional contra a corrupção e o processo de desestabilização do governo Lula, bem como pela mudança da política econômica, iniciado com o lançamento da Carta ao Povo Brasileiro.
Novos setores da sociedade se incorporaram à luta da CMS, realizando manifestações públicas e outras ações em todo o Brasil. A idéia é deflagrar um grande movimento nacional que mobilize a opinião pública e aponte uma saída progressista para a crise política. Os movimentos sociais do Rio Grande do Sul realizaram um seminário no dia 13 de julho com 1.200 pessoas; em Salvador, um debate sobre a conjuntura reuniu 500 ativistas na última terça-feira; em Fortaleza foi promovida uma concorrida plenária da CMS na segunda-feira (18). A CMS nacional pretende realizar uma manifestação no dia 16 de agosto e vários atos já foram convocados para julho e agosto nos Estados, conforme programação a seguir:

Julho

22 – Ato da CMS em São Luiz/MA;

25 – Ato em Brasília proposto pela Via Campesina: pela manhã, mobilização no ministério das Relações Exteriores contra a OMC; à tarde, ato em frente ao ministério da Fazenda, contra a política econômica e à noite, grande plenária para discutir a conjuntura;

25- Ato em Curitiba/PR;

25 – Ato no Rio de Janeiro proposto pela Via Campesina, em frente ao Banco Central, contra a política econômica. À noite haverá um debate, Papel do estado, dos partidos políticos e poder popular;

25 – Ato da CMS em Porto Alegre/RS;

26/07 – Reunião para organizar o Grito dos Excluídos;

27/07 Ato da CMS/Campanha contra ALCA em Santa Catarina às 16h00 da Alfândega;

Última semana: Mobilizações para emancipação da Refinaria de Manguinhos;

Agosto

Ato da CMS em 04/08 ( à confirmar );

Ato da Marcha pela Reforma Urbana dia 12/08, em Goiânia;

Ato da CMS e da Carta ao Povo Brasileiro, dia 16/08 ( esse ato unificará a chegada da Marcha pela Reforma Urbana com o ato dos estudantes da UBES/UNE e vai incorporar as demais entidades);

Ato CMS São Paulo dia 26/08.

Setembro

Atividades preparatórias para o Grito dos Excluídos e também para Assembléia Popular Nacional às 11h no monumento do Museu do Ipiranga;

01 a 07 – Semana da Pátria e Grito dos Excluídos;

19 a 21 – Assembléia Popular Nacional sobre o Modelo Econômico – Brasília;

Outubro

8- Dia Nacional da Solidariedade; Homenagem ao Che;

17 – Marcha Mundial de Mulheres;

20 a 23 – Seminário Nacional da Semana Social Brasileira – CNBB;

Final de Outubro ou começo de Novembro ( a definir ) – EBGLT em Brasília no último dia do Encontro acontecerá a marcha pelos direitos civis e reafirmação do Estado laico.

Novembro

20- Zumbi + 10 em Brasília;

25 –Combate à Violência Contra a Mulher;

Dezembro

01 – Luta Contra a AIDS;

10 –Direitos Humanos.

Fonte: Ticiana Studart (Marcha Mundial de Mulheres/Pela CMS)