Continua articulação pela aprovação do projeto de reajuste salarial


A coordenadora da Fenajufe, Mara Weber, acompanhou o presidente do Sindiquinze(SP), José Aristeia Pereira, em reunião acertada pelo sindicato com o assessor especial da Presidência da República, Renato Simões, na terça-feira, 8. O objetivo foi  discutir a inclusão do PL 2648/2015 entre os assuntos que seriam discutidos na reunião de líderes daquele dia, uma vez que o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), já havia avalizado o texto com as alterações no projeto, proposto pelo STF.  No texto, o Supremo ajusta o projeto para aproveitamento do montante orçamentário aprovado no Anexo V da LDO, referente às parcelas já vencidas (janeiro, fevereiro e março), conforme apresentado à Fenajufe pelo Diretor Geral do STF, Amarildo Vieira e o Juiz Auxiliar da Presidência do Tribunal, Paulo Schmidt,  em 24 de fevereiro.

 

Simões informou que devido às turbulências no cenário político nos últimos dias, a reunião de rotina com o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Ricardo Berzoini, não havia acontecido, mas que o faria tão logo fosse possível. Simões reforçou a necessidade do contato entre o presidente do Supremo, Ricardo Lewandowski e o ministro Berzoini, como forma de acelerar o processo de debate do PL na base aliada.

 

Em seguida os dirigentes foram até o líder do governo na Câmara dos Deputados, deputado José Guimarães (PT/CE), onde se reuniram com o chefe de Gabinete, Lourimar Rabelo, que já havia sido informado naquele momento pelo coordenador da Fenajufe Adilson Rodrigues, da concordância do MPOG com o novo texto proposto pelo STF. No encontro Mara Weber insistiu na importância de José Guimarães pautar o PL 2648/2015 na reunião do Colégio de Líderes da Câmara, uma vez que o próprio líder do PSDB, deputado Antônio Imbassahy (BA), deixou bem claro que apoiaria o projeto desde que o governo pautasse através de seu líder. Rabelo sugeriu que outro parlamentar apresentasse essa pauta na reunião de líderes, uma vez existir um enorme número de pedidos de urgência pendentes, feitos pelo governo.

 

De posse das informações, a coordenadora da Fenajufe e o presidente do Sindiquinze foram ao encontro do Diretor Geral do STF, Amarildo Vieira, já no fim da tarde da terça-feira. Mais uma vez destacou-se a necessidade de Lewandowski atuar noi processo e em contato com o ministro Berzoini e o líder do governo, José Guimarães, estabelecerem o cronograma de votação do projeto para a próxima semana. Vieira disse que iria despachar com Lewandowski naquela noite e informaria à Fenajufe o resultado da conversa.

 

Cenário preocupante

 

A grande preocupação que permeia a aprovação do PL 2648 na Câmara dos Deputados é a ameaça de obstrução, feita pela oposição. Isso impediria qualquer votação até a definição do rito do impeachment, que deve acontecer apenas na próxima semana com o julgamento dos embargos do presidente Eduardo Cunha (PMDB/RJ) à decisão do STF sobre o processo impedimento de Dilma Rousseff. 

 

Em conversa com o líder do PSDB, Antônio Imbassahy, ainda na terça-feira, 8,  os dirigentes reiteraram o pedido de apoio ao reajuste dos servidores do Judiciário Federal. Mas Imbassahy asseverou que nesse momento não haverá apoio a nenhum projeto e que oposição trabalhará pela obstrução.

 

Na avaliação da coordenadora Mara Weber não há um cenário definido e qualquer desdobramento deverá ter mais clareza até o final da semana, com a definição sobre o futuro das votações na Câmara e Senado.

 

Parlamentares da oposição ao governo estiveram reunidos com o ministro Lewandowski ainda na tarde de terça-feira. O encontro foi agendado pelo deputado Rubens Bueno, do PPS do Paraná.

 

Da Fenajufe