Comando Nacional de Greve define ato do dia 14 de dezembro


BRASÍLIA – 07/12/11 – Na próxima quarta-feira, 14 de dezembro, servidores de todo o país virão a Brasília participar de um novo ato nacional e de acampamento em defesa da aprovação dos PLs 6613/09 e 6697/09. Da mesma forma que no dia 23 de outubro, quando mais de mil pessoas protestaram na porta do STF e do Palácio do Planalto, a manifestação nacional da próxima quarta será na Praça dos Três Poderes, a partir das 15h. Desta vez, no entanto, a expectativa do Comando Nacional de Greve e da Fenajufe é que o ato seja ainda maior, com a vinda de caravanas de todos os estados, em greve ou não. A ideia é reunir um número ainda maior de servidores nas manifestações, que também contarão com um acampamento a partir do dia 14.

A organização das mobilizações da próxima semana foi definida em reunião do Comando Nacional de Greve, na tarde desta quarta-feira (07), que também avaliou o cenário que envolve o processo de negociação entre os três poderes. Informações obtidas nos últimos dias por dirigentes da Fenajufe e dos sindicatos de base, por meio de parlamentares da base do governo, continuam apontando que até o momento o impasse não permite que haja avanços nos diálogos com o Executivo, o que impede o fechamento de um acordo orçamentário para aprovar os PCSs. A categoria esbarra, por um lado, na intransigência do governo Dilma em manter a política de reajuste zero ao funcionalismo e, por outro, na inércia das cúpulas do Judiciário Federal e do MPU, especialmente do presidente do STF, ministro Cezar Peluso, e do Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, que continuam sem assumir efetivamente o papel de negociadores junto ao governo federal.

Para os coordenadores da Fenajufe e representantes dos sindicatos no Comando Nacional de Greve, a próxima semana poderá ser decisiva, uma vez que até o dia 19 o relator geral da LOA 2012, deputado Arlindo Chináglia (PT-SP), deverá concluir o seu relatório final, a ser votado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) até o dia 20 de dezembro na CMO e até dia 22 no plenário do Congresso. Até lá, os servidores precisam intensificar as pressões em cima dos parlamentares, em especial daqueles que compõem a CMO e a base do governo no Congresso Nacional, visando garantir a inclusão da emenda aprovada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, destinando valores para o pagamento de duas parcelas dos planos em 2012. Por isso, além do ato nacional e do acampamento, em Brasília, os sindicatos terão que manter os contatos com os parlamentes e também as mobilizações nos estados.

Para os dirigentes sindicais, a única forma de reverter a situação de impasse nas negociações é intensificando as mobilizações e, por isso, os sindicatos precisam enviar caravanas com o maior número possível de servidores para que o ato nacional seja o maior dessa greve e também cumpra o seu papel, que é forçar o ministro Peluso, o PGR e a presidenta Dilma Rousseff a negociar, de fato, um acordo que permita a aprovação dos PLs 6613/09 e 6697/09 ainda este ano, com implementação a partir de 2012.  

Assembleias para avaliar o quadro de greve e as novas orientações

A outra orientação definida na reunião do Comando Nacional de Greve desta quarta-feira (07) é para que todos os sindicatos em greve promovam rodada nacional de assembleias entre os dias 15 e 16, quinta e sexta-feira da próxima semana, para avaliar o movimento grevista e também discutir as novas orientações do Comando de Greve.

Na próxima terça-feira (13), a Diretoria Executiva da Fenajufe se reunirá às 10h, em Brasília, e às 18h haverá reunião do Comando Nacional de Greve. O objetivo é avaliar os resultados das novas conversas que serão feitas de hoje até o dia 13. A partir do cenário analisado nas reuniões, novas orientações serão repassadas aos sindicatos para as assembleias dos dias 15 e 16.

 

Da Fenajufe – Leonor Costa