Carta da Fenajufe à Presidente Dilma em repúdio ao leilão do pré-sal


Senhora Presidente,

A Fenajufe, através da sua diretoria executiva, repudia sua atitude em leiloar o Pré-sal.

Desde meados do século XX a ideia de um “Petróleo é Nosso” sempre fez parte das reivindicações dos setores mais progressistas do Brasil. Com o leilão do Pré-sal, o PT mantém a política entreguista do PSDB e privatiza o nosso petróleo.

A Petrobrás, que foi criada em 1952, detém a técnica de explorar em águas profundas. A Shell buscou petróleo no Campo de Libra, foi até uma certa profundidade e não encontrou. Já a Petrobrás foi mais fundo e encontrou o Campo de Libra que agora, a partir do leilão, já não é mais nosso.

A lógica adotada por seu governo foi descobrir o campo e depois entregar 60% para os estrangeiros, incluindo a China e de forma indireta os Estados Unidos, por meio dos bancos que financiam empresas como a Shell. Este foi um dos maiores ataques ao patrimônio dos brasileiros e a maior privatização nunca antes realizada na história do Brasil.

Além do ataque ao patrimônio da Classe Trabalhadora, houve uma criminalização em forma de violência policial para conter os manifestantes que protestavam contra a privatização do Campo de Libra. As Forças Armadas, a Polícia Federal e a Força Nacional foram chamadas para garantir a ordem capitalista do leilão do Pré-sal. Tempo que lembrou a ditadura militar e as repressões aos movimentos.

O leilão que gerou a privatização do Campo de Libra chama a atenção também por um engodo da última campanha presidencial, pois a então candidata Dilma disse claramente no horário eleitoral gratuito que privatizar o Pré-sal seria um crime.

Estamos falando de reservas que são avaliadas pelo mercado petrolífero em cerca de 1,5 trilhão de reais em petróleo bruto e tudo vendido pelo preço de 15 bilhões que serão utilizados para fazer superávit primário e pagamento da dívida pública.

Recordemos de Fernando Henrique-PSDB que dizia que o dinheiro das privatizações da década de 1990 iria para saúde e educação. Agora seu governo faz o mesmo caminho, enganando a Classe Trabalhadora. Segundo projeções, os valores para a educação daqui a mais de uma década chegarão a aproximadamente 0,6% do PIB na educação, muito aquém das lutas por 10% do PIB na educação pública já, o que o seu governo não aceita.

Outra tentativa de enganar a população foi a de propagandear que a Petrobrás sozinha não daria conta de financiar a retirada do petróleo do Campo de Libra. Nenhuma empresa sozinha dará conta e fatalmente buscará o mercado financeiro. E no Brasil, como se sabe, a teta que alimenta os empresários é o BNDES (a exemplo do “quebrado” e símbolo do empreendedor na era petista, Eike Batista, que teve 10 bilhões do BNDES). Se era para emprestar no BNDES, como foi feito na era FHC, Lula e agora no atual governo, que a Petrobrás o fizesse e mantivesse o Campo de Libra nas mãos dos brasileiros.

Nossos fóruns possuem deliberação contrária às privatizações que estão ocorrendo no governo petista como nos casos das rodovias, portos, aeroportos, correios (através das 10 mil franquias), saúde (por meio das OSs e privatização, através da EBSERH, da administração dos melhores hospitais do Brasil que são os hospitais universitários das Universidades Públicas Federais), educação (incentivando os empresários caça-níqueis da educação privada), Banco do Brasil (com a recente autorização para elevar a 30% as ações da iniciativa privada) e por aí afora. Também temos posição pelo “Petróleo 100% estatal” e continuaremos a protestar contra este crime contra a Classe Trabalhadora e lutar pela anulação dos leilões e pelo monopólio estatal do petróleo, e, especialmente, nos solidarizamos com a greve dos trabalhadores da Petrobrás.

 

Fenajufe

1º de novembro de 2013