Ato em Brasília no dia 23


Em reunião na última quarta-feira (09), em Brasília, o Comando Nacional de Greve aprovou a orientação para que todos os estados fortaleçam a greve nos próximos dias. A avaliação dos representantes dos sindicatos que vieram participar das atividades de pressão e também dos coordenadores da Fenajufe é que a categoria não pode aceitar que o Congresso Nacional vote o projeto de reajuste dos magistrados, sem aprovar os PLs que revisam os Planos de Cargos e Salários do Judiciário Federal e do MPU. Na avaliação das lideranças sindicais, essa possibilidade, expressada à Fenajufe nos últimos dias por vários parlamentares e pelos veículos da grande imprensa, é um desrespeito com os servidores, que garantem, no dia a dia, a prestação jurisdicional para a população.

Outra definição do Comando Nacional de Greve é a realização de um ato público no dia 23 de novembro, em Brasília. A ideia é fazer um grande protesto na Praça dos Três Poderes, abrangendo o Palácio do Planalto, o STF e o Congresso Nacional.

Para o Comando Nacional, até lá, a greve, que já atinge 20 estados com a adesão esta semana dos servidores de Goiás, Espírito Santo e Rio Grande do Norte, deverá se intensificar e aumentar em todo o país, com a entrada dos demais estados que ainda não paralisaram as atividades. A Fenajufe faz um apelo para que os demais sindicatos construam a greve com a categoria nos próximos dias, considerando o cenário de dificuldades e que somente uma greve forte será capaz de garantir a revisão salarial.

A Fenajufe orienta que, no dia 23, os sindicatos enviem caravanas, para garantir a realização de um grande ato, na Praça dos Três Poderes. A orientação é que os estados mais próximos façam um esforço ainda maior, enviando ônibus com o maior número possível de servidores.

 

Assembleia Geral SINTRAJUSC aprova paralisação dia 16/11 

Em Assembleia realizada nesta sexta-feira, dia 11, os servidores aprovaram paralisação no dia 16 de novembro, quarta-feira, em mais uma atividade de luta pelo PCS. O Coordenador do SINTRAJUSC Paulo Koinski percorreu, na semana passada, diversas regiões do Estado para conversar com os servidores sobre a atual situação na luta pelo PCS.

É importante lembrar que, em 2010, Santa Catarina foi um dos primeiros estados a entrar em Greve, e também um dos mais penalizados. O Presidente do TRT12, Gilmar Cavalieri, descontou uma parcela do vencimento dos servidores como punição pela Greve. Só não perdeu quem fez acordo individual para trabalhar horas a mais. Na JF e na JE houve acordo com a Administração e evitou-se o desconto.

Na Assembleia de sexta, foi aprovado que, às 15 horas, os servidores do TRT façam Ato e em seguida se dirijam à JF, com mais um Ato unificado, contando com a presença de servidores da Eleitoral.