ASSEMBLEIA APROVA ATO NO DIA 25


Em Assembleia/Ato realizada nesta quinta-feira, dia 19, os servidores aprovaram participar do Ato no dia 25, na tarde da próxima quarta-feira, a partir das 15 horas, na frente do Ticen em Florianópolis. O Ato, que será realizado em outras capitais do país,  foi convocado pelo Fórum Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais e aprovado na reunião do Fórum dos SPFs em Santa Catarina. Também foi realizada a votação dos delegados que irão representar o SINTRAJUSC na plenária da Fenajufe, em maio. Os eleitos, de acordo com o número de delegados a que SC tem direito, foram: Caio Teixeira, Paulo Roberto Koinski, Denise Zavarize, Adriana Ramos, Edson Régis e Sérgio Murilo de Souza. Foi aprovado que a Plenária da Federação debata e aprove um Plano de Lutas unificado com os demais servidores federais e que as próximas plenárias sejam em Brasília, para os custos serem menores para as entidades (a Plenária de maio será no Maranhão).

Na Assembleia, os servidores também aprovaram que seja feita uma campanha de esclarecimento e denúncia, junto a Centrais Sindicais e entidades do movimento sindical e popular de todo o país, sobre a atuação do ex-presidente do TRT, Gilmar Cavalieri, em relação às demandas dos servidores e à posição dele sobre o Direito de Greve. Na gestão do desembargardor Gilmar Cavalieri, ele combateu duramente esse Direito, exigindo compensação hora por hora depois da Greve pelo PCS. Mesmo que ele não tenha sido indicado nas duas listas tríplices para ministro do TST, a Assembleia entendeu que é importante tornar pública, junto às entidades, as posições do ex-presidente, para reforçar a compreensão de que nenhum Sindicato pode se calar diante de ameaças ao Direito de Greve.

Também foi aprovada, por maioria, a ida de até quatro observadores para o Congresso da CSP/Conlutas, uma vez que os observadores precisam representar uma entidade, mas a ida, conforme decisão da Assembleia, será sem custos pelo SINTRAJUSC. Por fim, foi autorizado o uso do Fundo de Mobilização e Luta para pagamento de atividades recentes que envolvem a luta pela PCS. Haverá Assembleia no dia 26 de abril para debater a mobilização da campanha salarial e o ponto que não pôde ser aprovado, em função do adiantado da hora, na Assembleia do dia 19, referente à discussão e deliberação sobre a comissão de planejamento estratégico do TRT.