Assembléia aponta retorno ao trabalho na sexta, condicionado à negociação dos dias parados


Por Marcela Cornelli

Decisão foi tomada em razão do recesso parlamentar que inviabiliza aprovação imediata do projeto. Mobilização deve ser retomada no retorno dos parlamentares

Na assembléia de ontem da Justiça do Trabalho em Florianópolis fizemos um importante balanço da luta até agora contra o reajuste zero e as perspectivas imediatas do movimento.

Dentre os vários fatos que compõem a conjuntura neste momento, foram destacados os mais relevantes. O primeiro deles é que a reunião dos ministros da área econômica ocorrida na terça-feira não apresentou qualquer proposta para o Judiciário, limitando-se a discutir o reajuste dos militares. Em segundo lugar, o Legislativo só funciona até a semana que vem e precariamente. Os tribunais superiores e o STF estão em recesso a partir de hoje.

Tais fatos dificultam as possibilidades de negociação imediata do projeto da GAJ e praticamente inviabilizam sua aprovação neste primeiro semestre. Avaliou-se também que se a greve tivesse mais forte não só em SC, mas em todo país, teríamos avançando mais nas negociações.

Na avaliação da assembléia a greve até o momento, garantiu alguns avanços importantes. A criação da Comissão que está discutindo o Plano de Carreira do Judiciário deverá ter uma proposta inicial até o dia 15 de julho. Ao mesmo tempo, somos a única categoria das que fizeram greve neste ano que já conseguiu colocar seu projeto de lei no Congresso. Os servidores das universidades estão em greve desde a semana passada porque o governo até agora não encaminhou o projeto de lei do acordo feito há mais de um mês. Os previdenciários ameaçam parar de novo pelo mesmo motivo.

Diante de todos estes fatos, a assembléia de ontem decidiu aprovar a suspensão do movimento grevista condicionada a negociação dos dias parados com a direção do TRT e apontou para um retorno unificado ao trabalho da Capital e do Interior amanhã caso a negociação chegue a bom termo. Ontem mesmo o comando de greve se reuniu com a presidente do TRT para discutir os dias parados e hoje deveremos ter uma proposta que será levada à assembléia às 13 horas para apreciação.

A decisão de suspender o movimento em razão do recesso em Brasília prevê a retomada da mobilização quando o Legislativo voltar ao trabalho. É possível inclusive uma unificação do movimento de todos os federais pela aprovação dos acordos quando o Congresso voltar. Neste final de semana teremos Plenária dos SPF´s em Brasília quando faremos uma avaliação do movimento e traçaremos plano de lutas para o próximo período.

Será fundamental retomarmos a mobilização após o recesso e com mais força ainda para garantirmos a aprovação da GAJ em condições aceitáveis.

ASSEMBLÉIA ESTADUAL
Hoje, dia 1º/7, às 13h, no TRT
Pauta: Discussão e deliberação sobre os dias parados

Da Redação