LOGIN DO SÓCIO




30/6: parar um dia para defender direitos de uma vida inteira

Reforma da Previdência

Em Assembleia nesta segunda-feira, 26, os servidores aprovaram a adesão do Judiciário catarinense à Greve Geral de 30 de junho, convocada pelas maiores centrais sindicais do país e pela Fenajufe. Em Santa Catarina, cerca de 15 categorias já aderiram. Mais uma vez, a base do Sintrajusc não foge da luta e na sexta-feira irá se juntar às mobilizações nacionais contra a perda de direitos.

A avaliação geral é de que o governo Temer está fragilizado, mas não morto, e só com luta é possível enterrar as reformas trabalhista e da Previdência. Nesta segunda-feira, afundado em denúncias de corrupção e agindo nas negociatas para passar as reformas, Temer afirmou à imprensa: “Nada nos destruirá”. Pois bem, há que mostrar de que lado está a força, e por isso é fundamental a participação de todos os servidores na Greve de sexta.

Além das reformas, os servidores em todo o país também estão em luta contra mais uma tentativa de desmonte do Judiciário, com os cortes do orçamento, a reestruturação severa que irá atingir a Justiça do Trabalho e a proposta de extinção de Zonas Eleitorais, que já levou ao fechamento de uma em Florianópolis, com outras na “lista de espera” no interior do estado.

Durante a assembleia, os servidores também ressaltaram a necessidade de passar nos locais de trabalho convocando a categoria para fazer um grande dia de paralisação no dia 30. Coordenadores do Sindicato e servidores irão conversar com os colegas já a partir desta terça-feira. A orientação para os servidores no interior do estado é que se organizem em seus locais de trabalho e, se for o caso, que participem das atividades com outras categorias em seus municípios.

O governo Temer vem encontrando dificuldades para aprovar suas reformas. As mudanças na legislação trabalhista beneficiando o grande empresariado e no sistema previdenciário, praticamente acabando com a Previdência pública, enfrentam grande rejeição da população.

REFORMA TRABALHISTA

Em relação à reforma trabalhista, na semana passada o governo enfrentou uma derrota na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, onde o relatório foi rejeitado. Mas já nesta quarta-feira (28), o colegiado vota o parecer favorável do relator, senador Romero Jucá (PMDB-RR), em outra comissão, a de Constituição e Justiça (CCJ). Independentemente do resultado, a matéria vai depois à votação em plenário. O líder do governo, senador Romero Jucá, disse que poderá apresentar requerimento de urgência após o relatório passar pela CCJ. Ele disse também que vai apresentar requerimento de preferencialidade para o texto aprovado pela CAE. O governo quer votar o projeto antes do recesso parlamentar, que começa no dia 17 de julho.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Mesmo a reforma da Previdência, cujo calendário está parado depois das denúncias da empresa JBS, pode a qualquer momento recomeçar a tramitação. A reforma está pronta para ir a votação no plenário da Câmara dos Deputados. Basta a oportunidade aparecer que o governo e a Câmara irão passar o rolo compressor sobre os trabalhadores. Esses elementos mostram que nada está garantido nem ganho. Temos que barrar já tanto retrocesso, porque deixar as reformas passarem é criar o deserto social no país, e vai ser difícil desfazer o estrago nos próximos anos.

Vale lembrar que todas as grandes atividades nacionais de que participamos em 2017 - a Greve Geral, o Ocupa Brasília - foram o nosso calendário contra o calendário das reformas ditado pelo governo e pelo Congresso. E elas deram resultado. Mas precisam crescer ainda mais.

Colega, nossa indignação tem que aparecer nas ruas! De nada vai adiantar se ela se restringir às conversas com familiares e colegas. Precisamos que, mais uma vez, a resposta à iminente perda de direitos seja dada em todo o país e ouvida em Brasília. Trata-se de nossa aposentadoria, nossa condição de trabalho, nosso futuro. A hora é agora. E sexta é o dia de fazer a luta acontecer. 

ATIVIDADES EM BRASÍLIA

A Assembleia também aprovou os nomes dos delegados e delegadas que irão representar o Sintrajusc em três atividades em Brasília:

-Reunião Ampliada da Fenajufe (8/7 em Brasília): Paulo Koinski e Devair Esmeraldino
-Encontro Nacional do Coletivo dos Agentes de Segurança (9/7 em Brasília): Carlito Andrade e Luiz Roberto Silveira
-Reunião do Coletivo Nacional dos Técnicos Judiciários – Contec (9/7 em Brasília): Everton Rodrigues Garcia, Claudio Leite Nahra e Eleuse Ritter