LOGIN DO SÓCIO




História

Institucional

O Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal no Estado de Santa Catarina (Sintrajusc) nasceu da fusão dos sindicatos e associações dos trabalhadores das esferas Trabalhista, Federal e Eleitoral, durante o I Congresso dos Trabalhadores Federais, realizado em 30 de agosto de 1997. A fusão foi consequência da mobilização dos servidores do Judiciário Federal de Santa Catarina, que sentiram a necessidade de construir uma organização com caráter político, para a defesa dos seus interesses, sem desconsiderar a prestação de serviços para a categoria.

Desde o início, ficou claro que os interesses da categoria são a prioridade do Sindicato. Já no primeiro ano da fundação, o Sintrajusc entrou de cabeça na luta pelos 11,98% da URV. Ação judicial vitoriosa, impetrada pelo Sintrajusc, reconheceu o direito da categoria ao índice. Mas os interesses da categoria também envolvem os debates pelos rumos do Poder a que pertencem. Assim, em 1998, o Sintrajusc já se posicionava decididamente contra a extinção da Justiça do Trabalho e lutava pela autonomia e independência do Poder Judiciário. Era o reconhecimento de que os interesses dos servidores também se encontravam além do local de trabalho, numa demonstração objetiva da ampliação do grau de consciência da categoria.

Em 2000, aconteceu a primeira greve, de 41 dias, na Justiça do Trabalho, pela conquista da Gratificação da Atividade Judiciária (GAJ). De volta ao trabalho, a Administração do Tribunal rompeu o acordo com o Sindicato, descontando os dias parados. Foi preciso recorrer à Justiça Federal para obter o reconhecimento do direito de greve e o pagamento integral dos salários.

Um ano depois, em 2001, o Sintrajusc foi decisivo para uma das lutas que mais marca a categoria dos servidores do Judiciário Federal: a obtenção do Plano de Cargos e Salários (PCS). O objetivo era modificar o PCS em vigor, de 1996. Foram necessárias várias mobilizações para conseguir que o Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhasse o projeto de lei que modificaria o PCS ao Congresso Nacional. Em 2002, após uma greve nacional da categoria, com participação intensa do Sintrajusc e com a coordenação nacional da Fenajufe, finalmente veio a vitória. Organização e muita mobilização da categoria em Santa Catarina construíram um dos movimentos mais marcantes de servidores públicos no Estado.

Mas sindicato combativo não tem descanso. Com o tempo, o PCS ficou mais uma vez defasado. Em 2004, começaram as discussões para a aprovação do PCS-3. Novamente, o Sindicato colocou-se decididamente à frente da luta. Do envio do projeto de lei à sanção do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram quase dois anos, com greves, paralisações, atos variados e muita discussão sobre a importância dos servidores públicos e do Sindicato. A vitória foi obtida no dia 14 de dezembro de 2006, com a sanção da lei do PCS. Mais uma vez, o Sintrajusc e os servidores mostraram que são de luta, não entregando os pontos nem nos momentos mais difíceis da batalha.

Em 2007, o Sintrajusc definiu políticas de combate às doenças do trabalho que atingem os servidores. O Sindicato também reinaugurou sua sede social na Praia do Campeche, em Florianópolis. Em 2008, deliberamos por intensificar a luta por um novo Plano de Cargos e Salários (PCS4). Em 2012, foi obtido reajuste de 15,8% com o aumento da GAJ para 90%. Em 2014, um destaque foi a luta vitoriosa pelo reenquadramento, depois que os padrões da carreira foram reduzidos de 15 para 13 níveis, prejudicando os servidores. O Sintrajusc também teve atuação crítica em relação à implantação do Processo Judicial Eletrônico (PJe), que provocou, na Justiça do Trabalho, uma série de transtornos. No mesmo ano ocorreu o lançamento da campanha “Combate ao assédio moral no trabalho. Esta luta é coletiva”.

A aprovação do PLC 29, da reposição salarial, no Senado, marcou o ano de 2016. Os servidores também lutaram contra a PEC 55, que foi aprovada e congelou os gastos públicos por 20 anos, organizando-se ainda para barrar o desmonte da legislação trabalhista. Em 2017, o destaque foi a luta contra a reforma da Previdência, engavetada no início de 2018 depois de Greves, passeatas, outdoors pela cidade, contato direto com sindicatos públicos e privados e com a população.

Ação política é marca do Sindicato

Ao lado da luta pelos interesses específicos da categoria, a luta política é a marca do sindicalismo, e o Sintrajusc sempre pautou suas ações pela consciência política, inserindo-se nas lutas das várias organizações de trabalhadores e do movimento social, no Estado e no País. O envolvimento com as lutas da sociedade também é verificado no apoio que o Sintrajusc dá a diversos segmentos, como estudantes, outros sindicatos, organizações de mulheres, de negros, iniciativas alternativas na área de mídia (TV Floripa), entre outros.

 






Aposentados (a) em defesa da luta sindical


Listar todos vídeos [+]